Abertura provisória da nova ponte do Canal da Barra da Lagoa exige atenção de motoristas

Atualizado

Motorista sai da ponte e tenta acessar a Fortaleza da Barra. Foto: Anderson Coelho/ND

O trânsito ficou complicado na tarde desta quinta-feira na SC-406, na altura da ponte sobre o Canal da Barra da Lagoa, e deverá exigir atenção dos motoristas nos próximos dias, enquanto a obra da nova estrutura não for concluída.  Ontem, pela primeira vez, os motoristas que trafegavam no sentido Centro/Bairro puderam transitar pela nova estrutura, mas o acesso improvisado de entrada e saída para a Fortaleza da Barra continua causando transtornos.

Os trabalhadores da BTN, empresa responsável pela obra, concluíram na manhã de ontem a pavimentação asfáltica das rampas de acesso à nova ponte, o que permitiu o tráfego dos veículos da parte da tarde no sentido Centro/Bairro. O tráfego no sentido Bairro/Centro já havia sido liberado no verão.

Duas pistas sobre a ponte estão liberadas. Foto: Anderson Coelho/ND

A abertura da pista da ponte no sentido Centro/Bairro foi feita para que até então a única faixa aberta da ponte antiga fosse interrompida para facilitar os trabalhos de demolição da estrutura. Com a interrupção, os trabalhadores puderam utilizar uma retroescavadeira para retirar partes de concreto que estão sendo demolidas da antiga ponte. “Construiu uma ponte sobre a outra não é fácil, ainda mais com trânsito no local. Com a retroescavadeira estamos conseguindo agilizar essa demolição”, avaliou o encarregado de obras de BTN, Robson Martins.

A situação improvisada de entrada e saída do acesso a Fortaleza da Barra deverá provocar transtornos até o final de semana, mas Martins acredita que, a comunidade vai se acostumar, como ocorreu quando a obra exigiu que os motoristas que saíam da Fortaleza da Barra fizessem o retorno na Barra da Lagoa para então utilizar a ponte em direção ao Centro.  “Precisamos terminar a demolição da antiga estrutura para depois construir o passeio e a rampa que vai ligar o acesso da Fortaleza da Barra a ponte”, explicou Martins.

Trabalhadores atuam na demolição da antiga estrutura. Foto: Anderson Coelho/ND

O problema é que as placas de sinalização que informavam os motoristas sobre a necessidade de fazer o retorno 200 metros adiante da ponte desapareceram algumas horas após serem instaladas. Por isso, os motoristas que trafegam no sentido Bairro/Centro e desejam entrar na Fortaleza da Barra tentam entrar diretamente no acesso, enquanto os motoristas que saem da localidade precisam fazer um contorno lateral para acessar a ponte. Em ambos os casos, os motoristas acabam provocando retenção de veículos na SC-406, nos dois sentidos.

“Já colocamos placas por duas vezes para informar que o retorno deve ser feito na altura do segundo ponto de ônibus, onde há espaço para a manobra, mas o material foi roubado. Gostaria de pedir a colaboração do pessoal da Fortaleza para fazer o retorno na altura do segundo ponto de ônibus”, apelou Martins.

Obra deve ser finalizada em julho

Com oito funcionários trabalhando das 8h até escurecer, a empresa BTN espera finalizar a obra em 16 de julho, prazo final do contrato firmado com o governo do Estado. Mais alta que a estrutura antiga, a nova ponte sobre o Canal da Barra vai possibilitar que barcos maiores possam sair da Lagoa da Conceição em direção ao mar e vice-versa.

Além do passeio para pedestres e ciclistas e da rampa de acesso a Fortaleza da Barra, a ponte deverá receber uma nova camada de pavimentação asfáltica. De acordo com Martins, a obra também vai exigir uma nova intervenção da Casan, com a mudança de lado de uma tubulação. O encarregado da obra acredita que os trabalhos estão próximos do fim. “Esperamos terminar tudo em julho, estamos trabalhando para isso”, relatou.

A obra teve início em 2014 e apesar de aparentar ser uma estrutura simples enfrentou uma série de obstáculos, como erro de projeto, contestações jurídicas por supostas irregularidades ambientais e dificuldade para concluir uma desapropriação de 130 metros quadrados. Ao todo, foram sete paralisações. Pontos de ônibus e postes de energia elétrica também precisaram ser realocados.

Diante da novela, os trabalhadores da BTN sofreram na pele todo tipo de manifestação da insatisfação da comunidade. “Já ouvimos de tudo aqui. Até um saco com urina já atiraram em cima da turma. Agora as coisas já estão mais calmas e até conhecemos os moradores”, completa Martins. Orçada inicialmente em R$ 2,9 milhões em 2014, a obra será concluída em 2019 ao custo de R$ 3,6 milhões.

O Deinfra informa que a obra da ponte sobre o Canal da Barra da Lagoa está com 84% dos serviços executados. No mês de maio, devido as fortes chuvas por diversos dias, não foi possível realizar os trabalhos de pavimentação conforme previsto no cronograma. Nesta semana, os serviços de pavimentação foram retomados e a empresa trabalha para recuperar os dias perdidos por conta das condições climáticas. O valor total do contrato é de R$ R$ 3,6 milhões e o valor pago até a última medição é de R$ 3 milhões.

Mais conteúdo sobre

Infraestrutura