Acesso a Bombinhas deverá ser em meia pista no começo da temporada de verão

Em meia pista desde abril deste ano, quando uma enxurrada provocou deslizamentos em pelo menos dois locais, o acesso a Bombinhas pela SC-412 corre o risco de não ser recuperado até o começo da temporada de verão, causando ainda mais transtornos aos moradores e atrapalhando o desempenho do turismo na região. Segundo a Agência de Desenvolvimento Regional de Itajaí, um acordo de cooperação ainda será firmado com a prefeitura de Porto Belo para que só depois ocorra a licitação para a escolha da empresa que vai realizar a obra.

Prefeitura de Porto Belo bancou estudo para a recuperação da pista - Divulgação/PMPB/ND
Prefeitura de Porto Belo bancou estudo para a recuperação da pista – Divulgação/PMPB/ND

O secretário de desenvolvimento regional, Gaspar Laus, vistoriou o local junto com a prefeita de Bombinhas, Ana Paula Silva (PDT) e o prefeito eleito de Porto Belo, Emerson Stein (PMDB). Ele garantiu o repasse dos recursos necessários para a obra. “O trabalho tem o objetivo de liberar a pista que está parcialmente interditada e dar condições dos motoristas trafegarem em segurança, evitando transtornos maiores durante a temporada”, explicou.

Segundo a prefeita de Bombinhas, a expectativa é de que o trecho esteja liberado até a primeira semana de dezembro, quando a região começa a receber um maior volume de turistas. “Como o trecho está em Porto Belo, o convênio será com o município de Porto Belo, mas nós estaremos trabalhando e nos esforçando para que a obra aconteça o mais rápido possível”, comentou.

 Jogo de empurra amplia demora

O reparo da rodovia se transformou em um verdadeiro jogo de empurra desde o mês de abril. A rodovia é estadual, mas o Deinfra (Departamento estadual de Infraestrutura) alegou que o conserto era responsabilidade do município, por se tratar da presença de um curso d´agua. Porto Belo alegou que não tinha recursos para agir sozinho, mas acabou bancando o projeto diante da promessa do Estado de liberar os recursos para a obra. A demora transferiu a recuperação para as portas da temporada de verão, preocupando os empresários que dependem da temporada de verão. Segundo eles, o movimento vai começar a aumentar bem antes, já no mês de novembro, quando deverá haver registro de filas e necessidade de acompanhamento de agentes de trânsito para o controle do tráfego no local.

O deslizamento ocorrido em abril é mais uma prova da necessidade de construção de um segundo acesso à cidade de Bombinhas, para desafogar não somente a entrada daquela cidade, mas para impedir que os motoristas fiquem parados pelo centro de Porto Belo, aguardando a fila andar. A obra depende de uma decisão do Tribunal de Justiça sobre o projeto do governo do Estado e da conquista de recursos públicos para o empreendimento.

Região