Aço usado na Ponte Hercílio Luz será matéria-prima para outras pontes em Santa Catarina

Atualizado

As ferragens de sustentação da ponte Hercílio Luz utilizadas durante o processo de reforma da estrutura serão transformadas em pequenas pontes metálicas, na forma de kits, para substituir pontes precárias ou danificadas em municípios do interior do Estado de Santa Catarina.

Aço usado na Ponte Hercílio Luz será matéria-prima para novas pontes – Anderson Coelho/ND

O material foi solicitado pela Defesa Civil estadual e foi vistoriado pelo chefe do órgão, João Batista Cordeiro Junior, acompanhado da equipe técnica, no último dia 19 de julho.

O processo está em fase de licitação e deve ser finalizado até a próxima semana, quando termina o prazo de contestação do resultado. Vence a empresa que oferecer menor preço e maior quantidade de produto entregue.

A licitação foi feita por meio do Regime Diferenciado de Contratação, prevendo que a empresa vencedora execute o plano de corte, beneficiamento da ferragem (com pintura de proteção) e montagem dos kits.

Neste momento, ainda não é possível precisar quantas pontes poderão ser construídas com as milhares de toneladas de material disponível, pois o número depende da análise da companhia responsável pela execução.

Material que será usado nos kits de transposição passou por vistoria – Emerson Emerim/SDC/Divulgação

Aço da primeira construção virou ponte em Tijucas

Essa iniciativa não é nova. À época da construção original da ponte Hercílio Luz, em 1926, o aço excedente foi utilizado para construir a ponte Bulcão Viana, ligando os bairros Pernambuco e Timbé, em Tijucas. Justamente por isso, levou o nome do governador que inaugurou a ponte símbolo de Florianópolis, Antônio Vicente Bulcão Viana.

Travessia da Bulcão Viana está fechada para veículos desde o final de 2014 – Brunela Maria/ND

A ponte de Tijucas também foi a primeira conexão entre a Capital e o Litoral Norte do Estado, pela chamada estrada velha, que começava no centro de Biguaçu passando por área rural até Tijucas. Lá, os viajantes atravessavam a “ponte irmã” da Hercílio Luz, seguiam por Porto Belo e Itapema até alcançar a zona rural de Camboriú e Itajaí, tudo por estradas de chão.

O fluxo diminuiu com a abertura da BR-101 e a construção de uma ponte de concreto mais elevada, há mais de 50 anos.

Inaugurada há 89 anos, a ponte Bulcão Viana está interditada desde 2014, por causa do afundamento da cabeceira Sul e pelo fato de sua estrutura não suportar mais o tráfego de automóveis, ônibus e caminhões. Desde então,
apenas pedestres, bicicletas e motocicletas podem atravessar sobre o piso de madeira.

Para resolver o problema, a atual administração de Tijucas optou por construir uma nova ponte no mesmo local, com projeto arquitetônico semelhante e mais funcional.

A obra custou R$ 4,7 milhões, e a empresa vencedora da licitação foi a Salver
Construtora e Incorporadora Ltda, com sede em Ituporanga, no Alto Vale do Itajaí. A previsão inicial é de que seja inaugurada em final de agosto.

Infraestrutura