Acusado de matar a esposa em Jaraguá do Sul enfrenta o banco dos réus nesta terça-feira

Atualizado

Marcelo Kroin, acusado de matar a esposa, Andreia Araújo asfixiada em agosto do ano passado, será julgado nesta terça-feira (20), em Jaraguá do Sul. Ele é acusado de homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, asfixia e feminicídio.

Julgamento do crime acontece na próxima terça-feira, em Jaraguá do Sul – Redes Sociais/Divulgação/ND

O julgamento iniciará às 9h, com o sorteio dos setes jurados que irão compor o júri. Depois disso, cerca de dezenove testemunhas serão ouvidas, para que em seguida, o réu seja interrogado. A sessão será presidida pelo juiz Crystian Krautchychyn.

O crime foi descoberto no dia 5 de agosto de 2018, após uma denúncia anônima. Andreia foi encontrada, já sem vida, enrolada em um cobertor dentro do carro do casal.

Para a polícia, o acusado informou que após voltar de uma festa com a esposa, os dois teriam discutido. Segundo ele, Andreia o agrediu e foi até a cozinha para pegar uma faca.

Em defesa, o homem teria dado um soco na vítima, que caiu e bateu a cabeça no chão. Porém, os laudos apontam que a morte foi causada por estrangulamento, não pela pancada na cabeça, como alegou o acusado.

Leia também:

Além disso, na época, familiares informaram que a Andreia estaria grávida de três meses. Porém, o resultado da exumação do corpo, realizado em novembro pelo IGP (Instituto Geral de Perícias), comprovou que a vítima não estava grávida quando foi assassinada

Em nota, a defesa de Marcelo Kroin informou que o acusado lamenta profundamente a morte da ex-companheira e que não planejou o assassinato. Sebastião da Silva Camargo, advogado do suspeito, alega que Andreia sempre foi uma pessoa de “personalidade complexa” e que já havia atacado o companheiro com uma facada no pescoço em outra oportunidade.

Por fim, a nota destaca que “o acusado nunca confessou ter cometido o assassinato de forma dolosa, pois de fato não o fez”.

Justiça