Agro – A Força da economia catarinense

Atualizado

O agronegócio foi considerado atividade essencial durante a pandemia do novo Coronavírus e, portanto, não perdeu o ritmo de produção. A cadeia produtiva catarinense trabalha dia e noite para garantir a segurança alimentar da população brasileira e do mundo. São mais de 18 mil produtores de proteína animal, que intensificaram as medidas de higiene, já rigorosas por lei, para manter a produção e a saúde de quem trabalha no campo. 

As agroindústrias do estado, que também cumprem protocolos internacionais rígidos, aumentaram ainda mais os cuidados na linha de produção. Medidas como a higiene das mãos, uso de máscara, toucas, roupas especiais, protetores faciais, distanciamento, desinfecção dos locais de trabalho, verificação da temperatura dos trabalhadores e afastamento dos funcionários com mais de sessenta anos são parte da rotina diária nas fábricas. Todos esses cuidados possibilitam que a cadeia funcione com plena capacidade, garantindo o abastecimento dos mercados interno e externo. 

O agronegócio é um dos setores menos afetados pelo Coronavírus e, segundo especialistas, vai contribuir para mitigar os efeitos da crise na economia brasileira. Em Santa Catariana, o segmento é responsável por 70% das exportações e por 34% do PIB do estado. O status de excelência em sanidade animal e o diferencial de Santa Catarina e abre as portas dos mercados mais exigentes do mundo para a carne produzida aqui. O estado exporta para 140 países, entre eles Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão. E novos mercados devem surgir a partir da pandemia. 

E essa força do setor do agronegócio que a NDTV vai mostrar em uma série de 31 reportagens e 6 programas de meia hora. A estreia é nesta quinta-feira, no Balanço Geral, ao meio dia. 

Mais conteúdo sobre

Agro – A Força da economia catarinense