Alcatraz: Justiça nega pela terceira vez liberdade a Nelson Nappi Junior

Atualizado

O ministro Joel Ilan Paciornik, da Quinta Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça), indeferiu liminarmente o pedido de habeas corpus do ex-secretário adjunto de Administração do Estado, Nelson Castello Branco Nappi Júnior, preso preventivamente pela Polícia Federal no âmbito da Operação Alcatraz, que apura fraude em licitações e desvios de recursos públicos no governo estadual.

Operação Alcatraz, da Polícia Federal, começou com o depoimento de um investigado à Receita Federal – Flavio Tin/ND

É a terceira vez que Nappi tem pedido de liberdade negado pela Justiça. A primeira foi em Florianópolis, quando a ordem de prisão preventiva foi confirmada pela Justiça Federal. Depois, os advogados do ex-secretário recorreram ao TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), e agora ao STJ.

Leia também:

Como o habeas corpus negado de forma liminar, significa que o mérito do pedido ainda será julgado pelo colegiado da Quinta Turma, em data ainda não confirmada.

Inicialmente, o habeas corpus de Nappi Junior na corte superior havia sido distribuído para o ministro catarinense Jorge Mussi. O magistrado, no entanto, em despacho publicado no dia 12, por motivo de “foro íntimo’, declarou sua suspeição para julgar o caso. O recurso, então, foi redistribuído para o ministro Paciornik.

Nappi Júnior é apontado pela PF e pelo MPF (Ministério Público Federal) como peça central no alegado esquema de corrupção envolvendo empresas privadas e órgãos estaduais. Além dele, outras seis pessoas tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça Federal.

Justiça