Alckmin diz que crise da água em 2014 foi superada sem racionamento

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) – O pré-candidato à Presidente da República Geraldo Alckmin (PSDB) negou que houve racionamento em São Paulo em 2014, quando ele governava o estado. 

Para uma plateia de empresários mineiros, em Belo Horizonte, ele disse que a falta de chuvas naquele ano foi grave, mas foi superada sem a necessidade de racionamento. 

“Passamos por uma seca muito grande em 2014 que não foi fácil. E não teve racionamento, seguramos a peteca e conseguimos ultrapassar”, disse.

Na época, porém, Alckmin chegou a admitir que não havia necessidade de decretar o racionamento, pois ele já acontecia na prática. Ele afirmou, em janeiro de 2015, que havia uma restrição hídrica por uma determinação da ANA (Agência Nacional de Água) de reduzir a retirada de água no sistema Cantareira. 

O entendimento era de que o racionamento na Grande São Paulo estava pressuposto, pois partiu de ordem das agências reguladoras. “O racionamento já existe”, disse Alckmin em 2015.

Antes disso, durante a campanha de 2014, quando foi reeleito governador, o tucano negou diversas vezes que houvesse racionamento. No entanto, na capital, todos os bairros tiveram redução da pressão de água, o que deixou diversos moradores sem água. 

Mesmo em municípios não atendidos pela Sabesp um levantamento da Folha em 2014 identificou 2,1 milhões de paulistas com interrupções no fornecimento de água. 

Mais conteúdo sobre

Jornalismo