Alta temporada chega e os preços começam a subir nas praias da Capital

Atualizado

Temporada em Florianópolis é época de curtir férias e preparar o bolso.  Na beira das praias da Capital, turistas e moradores já notaram que os preços de alguns produtos e serviços estão mais caros em relação às últimas semanas. A reportagem do ND visitou três das praias mais procuradas do Leste e Sul da Ilha para verificar os preços e registrar as impressões dos turistas e dos moradores.

Placas informam preços aos turistas no Campeche. Foto: Gabriel Lain/ND

Na Praia da Joaquina, os restaurantes já passaram a apresentar um novo cardápio desde ontem (26). “A maioria dos preços aumentou de R$ 2,00 a R$ 5,00”, confidenciou um dos vendedores de um restaurante, que atende aos clientes na beira da praia. A turista gaúcha Clarissa Fernandes comprou uma água de coco e pagou R$ 12. “Achei caro. Acredito que cobram (esse preço) por ser uma Ilha com apelo turístico”, relatou a turista, que controla os gastos na beira da praia.

Já as paulistas Luciane Carminatti, Tatiane Carminatti e Nadia David acharam justo o preço cobrado por uma porção de isca de peixe acompanhado de duas cervejas. “Está no preço, está justo”, avalizou Luciane.  A época de férias também se tornou um apelo a mais para as amigas, que preferem não controlar os gastos. “A gente se programou desde o meio do ano para viajar, então a vontade fala mais alto”, explicou Luciane, que segue viagem com as amigas rumo ao Uruguai após a estada na Capital catarinense.

Comércio de aluguel de cadeiras e guarda-sol no Campeche. Foto: Gabriel Lain/ND

No Novo Campeche, os preços altos da temporada eram o assunto entre os amigos Monique Amin, Fabiola Benvenuta e Leonardo Santana. Eles recém haviam comprado duas espigas de milho verde e uma lata de cerveja. “Está tudo muito caro e não é só na beira da praia”, reclamou Monique, que gastou R$ 60 para tomar café da manhã em uma padaria do badalado bairro do Sul da Ilha.  Por outro lado, Monique sabe que poderia ter mais gastos na beira da praia, se tivesse que alugar cadeira e guarda sol ou tivesse que estacionar o carro. “Ainda bem que moro aqui perto”, justificou.

Na Praia do Campeche, o argentino Pablo Gabriel calcula que gastaria até R$ 200 com alimentação e serviços (aluguel de cadeira e guarda sol) para a família (mulher e três filhos), apenas na beira da praia. “Está tudo muito caro”, disse o argentino que se hospedou em Canasvieiras e pretende ficar 10 dias em Santa Catarina. Porém, Gabriel salienta que a impressão é baseada na desvalorização do Peso em relação ao Real. “Cada 20 pesos está valendo R$ 1”, explica.

Anaís Neves (D) curte férias com amigos no Campeche sem controlar os gastos. Foto: Gabriel Lain/ND

Já a paulista Anaís Neves é daquelas pessoas que se prepara para gastar algo mais na temporada. Moradora de Florianópolis, ela recebeu um grupo de amigos do interior de São Paulo que nem se preocupou em saber o preço das porções de isca de peixe que consumiam. “Quem está de férias paga, porque está sujeito a isso. Os vendedores percebem que as vendas estão fluindo e botam preço mesmo”, observa, ao lembrar que na semana passada o estacionamento estava cotado em R$ 10 e ontem, o mesmo local já cobrava R$ 30.

Porém, aceitar o preço porque se está curtindo as férias pode não ser a melhor opção, ainda mais quando o produto não agrada. Foi o caso do contador Fabiano Bueno, que estava na Praia do Campeche com três amigos de Rio Claro (SP). Eles pagaram R$ 60,00 por uma porção de isca de peixe, mas não vão repetir o pedido. “Não vou comer mais aqui, porque não estava bom e não entregaram 500 gramas. Veio muito pouco”, relatou.

Monique Amin reclamou dos preços até fora da praia. Foto: Gabriel Lain/ND

Com os preços mais altos é comum encontrar muitas famílias com “coolers” carregados de bebidas para evitar gastos da beira da praia. Vendedora de um dos três contêineres instalados na Praia do Novo Campeche, Jussara Raitz acredita que o movimento deve melhorar nos próximos dias. “Por enquanto, o pessoal está meio contido. Em outras épocas, esse balcão estava cheio de gente, mas vai melhorar perto do final do ano”, afirmou Jussara.

Outra situação que afeta diretamente os preços é a comodidade. No caso dos estacionamentos, por exemplo, quanto mais distante da praia, menor o preço.  Com o aluguem de cadeiras e guarda sol não é diferente. Os preços costumam cair a partir do meio da tarde, de R$ 15 para R$ 10.

CONFIRA OS PREÇOS

Praia da Joaquina

Aluguel de cadeira – R$ 10,00 a R$ 15,00

Aluguel de guarda-sol – R$ 15,00

Água – R$ 4,00

Cerveja – R$ 5,00 a R$ 8,00

Água de Coco – R$ 8,00 a R$ 12,00

Churros – 1 por R$ 6,00, ou 2 por R$ 10,00

Queijo coalho – 1 por R$ 5,00, e 3 por R$ 12,00

Sequência de Camarão (para duas pessoas)  – R$ 168,00

Anchova assada (para duas pessoas) – R$ 98,00

Estacionamento – R$ 5,25 (a hora) a R$ 30 (até 19h)

Praia do Novo Campeche

Aluguel de cadeira – R$ 15,00

Aluguel de guarda-sol – R$ 15,00

Água – R$ 5,00

Cerveja – R$ 5,00 a R$ 8,00

Água de Coco – R$ 10,00

Milho verde – R$ 8,00

Estacionamento – R$ 10,00

Praia do Campeche

Aluguel  de cadeira – R$ 15,00

Aluguel de Guarda Sol – R$ 10,00

Água – R$ 5,00

Cerveja – R$ 5,00 a R$ 10,00

Água de Coco – R$ 10,00

Choripan R$ 1 por R$ 15,00, e 2 por R$ 25,00

Queijo Coalho – R$ 1 por R$ 5,00, 3 por R$ 12,00 e 5 por R$ 20,00

Milho verde – R$ 1 por 8,00 e 2 por  R$ 15,00

Sequência de Camarão (para duas pessoas) – R$ 150,00

Filé de Peixe (para duas pessoas) – R$ 80,00

Mais conteúdo sobre

Geral