Alteração em linha de ônibus no Norte da Ilha não agrada usuários

Atualizado

A mudança de horários em linhas do transporte coletivo municipal, ocorrida na última quarta-feira (3), não agradou moradores e usuários do Tisan (Terminal Integrado de Santo Antônio de Lisboa), em Florianópolis. Em entrevista ao ND+, passageiros da linha nº 365, chamada “Sambaqui Direto” reclamam da demora entre os intervalos de espera e falta de avisos sobre as alterações.

Linha nº 365 “Sambaqui Direto” não agradou usuários do transporte coletivo em Florianópolis. – Mônica Andrade/ND

A Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade Urbana também comunicou a mudança de horários nas linhas que atendem aos bairros  Ponta do Sambaqui, Santo Antônio, Barra do Sambaqui e Rio Veríssimo. Segundo a Prefeitura, as alterações foram feitas para facilitar o deslocamento dos usuários dentro dos bairros e só foram efetivadas depois de serem discutidas com a comunidade, no dia 24 de junho.

Leia também:

De acordo com Anderson Rodrigo da Silva, morador e usuário do transporte coletivo no Sambaqui, as reclamações após a mudança nos itinerários são constantes. “Me incomoda ver a quantidade de pessoas insatisfeitas com os horários, que prejudicam quem mais precisa e não tem outra opção de deslocamento. Cheguei a ligar na Secretaria de Transportes e registrar minha reivindicação, mas sem sucesso”.

Fotógrafo, Rodrigo utiliza a linha do Sambaqui quase todos os dias e gasta mais de R$ 200 por mês com passagens de ônibus. “Moro aqui há 16 anos e não desejo comprar um carro, sou favorável a formas alternativas de transporte. Além do mais, não tínhamos problemas antes da mudança nos horários”, relatou.

Passageiros reclamam da demora no intervalo das saídas de ônibus no Tisan (Terminal Integrado Santo Antonio de Lisboa) – Mônica Andrade/ND

Atualmente, no intervalo entre 5h e 7h, a linha nº 365 conta com quatro partidas do Tisan (5h30, 6h20, 7h05 e 7h55). Antes da alteração, eram ofertados seis horários de ônibus (5h40, 6h25, 6h45, 7h05, 7h35 e 7h55).

Para a cozinheira Ildenice Pereira Santos, moradora do bairro Ingleses e passageira do ônibus Sambaqui Direto, a nova linha prejudicou o horário de trabalho dela e de colegas que também utilizam a linha. “Desde a alteração, passei a chegar atrasada. Meu patrão já reclamou do horário e agora estou avaliando como vou pagar as horas que estou devendo, pois ainda preciso sair mais cedo para não perder o ônibus “.

Ildenice disse ainda que professoras de creches públicas, usuárias dos primeiros ônibus que saem do terminal também foram prejudicadas. “Tenho colegas que abrem as creches e agora chegam atrasadas. Imagine os pais destas crianças, que neste frio, precisam esperar na rua para que elas cheguem e abram a escola. Ninguém foi beneficiado com o novo horário”, reclamou.

Empregadas domésticas ouvidas pela reportagem também afirmaram que não possuem outra opção de transporte para chegar ao trabalho. Entre as reclamações mais ouvidas, estão o tempo de intervalo entre as saídas de ônibus do Tisan e a falta de informações prévias sobre a mudança nas linhas.

Em contraponto, a assessoria do Consórcio Fênix informou que, quanto à divulgação das alterações, foi realizada a publicação de matérias com horários, além do quadro de horários fixado no terminal. A Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana informou que irá averiguar as informações e entrará em contato com a equipe do ND+.

Infraestrutura