Aluno da UFSC vence competição global de combate à Covid-19 com inteligência artificial

Atualizado

O aluno do curso de engenharia eletrônica da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Kaue Cano Souza, integrou a equipe vencedora de uma competição global que busca, por meio de inteligência artificial, ajudar no combate à Covid-19.

Programa calcula com algoritmos o nível de imunidade para a Covid-19 dos pacientes – Foto: Reprodução/ND

O Hackathon Lumiata Covid-19 Global AI, promovido por empresa dos EUA especializada em inteligência artificial no ramo médico, ocorreu de forma online, de 17 de abril a 1º de maio.

Kaue relata que soube da competição por meio de um amigo, e resolveu fazer a inscrição. “A partir daí, foi tudo orgânico”, diz.

Leia também:

Em sua equipe, o aluno da UFSC contou com colaboração de membros de Harvard, Stanford, Columbia, King’s College London e University of Illinois, entre outros integrantes de várias partes do mundo.

O grupo desenvolveu um projeto chamado ‘ImmunoLynk’, que busca identificar pessoas com anticorpos para a Covid-19, por meio de inteligência artificial.

O projeto

O teste de imunidade para o coronavírus pode ser uma importante ferramenta para o combate à doença. No entanto, o teste ainda não foi aprovado nos Estados Unidos, visto que enfrenta algumas barreiras.

Os problemas passam pela ineficácia que ele pode ter se manuseado de maneira equivocada. Além disso, os testes precisam ser aplicados nos tempos corretos, assim, a dependência de profissionais de saúde para realizá-los interfere na testagem em larga escala.

A principal proposta do projeto, de acordo com Kaue, é que o programa desenvolvido não depende de supervisão humana para os testes, e o registro dos resultados conta com Blockchains – conhecido como ‘protocolo de confiança’.

Dessa forma, o ‘ImmunoLynk’ visa testar em massa e de maneira confiável.

Aplicado principalmente em profissionais de saúde, o teste por anticorpo identifica aqueles que já estão imunes à Covid-19, e ajuda hospitais e governos no combate à pandemia.

Competição envolveu 67 países

A equipe de Kaue foi a vencedora entre 110 grupos, com um total de 750 participantes de 236 cidades e 67 países.

Os jurados foram grande nomes no ramo de inteligência artificial e chefes executivos, assim como Aneesh Chopra, que foi o diretor chefe de tecnologia dos EUA no governo Obama.

Com a vitória em primeiro lugar, a equipe recebeu 10 mil dólares de prêmio, bem como a incubação do projeto pela Lumiata.

Kaue Cano afirma que terá uma reunião com a empresa na tarde desta sexta-feira (22), para aprimorar a ideia e prosseguir com o projeto.

Saúde