Alunos voltam às aulas após morte por meningite em Imbituba

Atualizado

Após uma semana, as aulas na rede pública de Imbituba retornaram nesta segunda-feira (24). O cancelamento aconteceu depois da morte de uma estudante de 12 anos por meningite bacteriana.

Alunos da rede pública de imbituba retornam às aulas após uma semana – Divulgação/PMI

Leia também

A morte de Thaiane Gonçalves de Souza foi causada por meningococcemia, forma grave da doença. A Dive-SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina) e a prefeitura do município decidiram pelo cancelamento das aulas e do JEIMB (Jogos Estudantis de Imbituba).

A medida foi tomada para evitar aglomerações e uma possível propagação da doença. O contágio da meningite bacteriana acontece por meio de gotículas e secreções transmitidas por vias respiratórias.

Outra estudante do mesmo colégio de Thaiane contraiu meningite, mas do tipo estreptocócica, considerada menos agressiva. A aluna está internada no Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, com quadro de saúde estável.

Como forma de prevenção, nove escolas municipais e 15 creches passaram por uma limpeza geral. A medida de higienização foi considerada necessária para a retomada das aulas.

Dive adotou medidas para evitar contaminação

Como providência para o caso, a Dive-SC adotou medidas de prevenção. Uma delas foi a administração de antibióticos para todos que tiveram contato próximo com Thaiane.

A ação foi executada para diminuir a chance de contaminação da família da menina e de colegas. Segundo o departamento, os dois casos registrados em Imbituba não têm relação por se tratar de bactérias diferentes.

Em Santa Catarina, foram confirmados 20 casos de doença meningocócica neste ano. As cidades de Blumenau, Itajaí, Lages e Itapema registram o maior número de casos.

Meningite bacteriana pode levar a óbito em poucas horas

Meningite é o nome dado a uma inflamação nas membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Os agentes infecciosos mais importantes são bacterianos e virais, que possuem maior capacidade de gerar surtos.

O grupo de risco da doença inclui crianças menores de cinco anos e principalmente recém-nascidos. Adolescentes e jovens adultos tem risco de adoecimento elevado em momentos de surto.

Doença endêmica, a meningite pode ser prevenida por meio de vacinas. O Programa Nacional de Vacinação da criança possui quatro de imunização que protegem contra os principais agentes da inflamação.

Mais conteúdo sobre

Saúde