Animais sofrem com incêndio na Serra do Tabuleiro, em Palhoça

Atualizado

De um lado da estrada cavalos relinchavam incomodados com os helicópteros Arcanjo e Águia, que buscavam água em um lago. Do outro, alguns animais pastavam como se as chamas e a fumaça não interferissem em suas vidas. Quem parecia preocupado com o que estava acontecendo era um cachorro que, de sua casinha, acompanhava a movimentação incomum com os olhos cheios de desconfiança.

Um cachorro olhava, desconfiado, a situação ao seu redor no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro – Marcela Ximenes/ND

Diferentemente desses animais, muitos outros não tiveram a mesma sorte de estarem em segurança, mesmo que relativa. Não há levantamentos ainda de quantos bichos morreram vítimas do incêndio no parque.

De acordo com a Polícia Ambiental, os répteis e os anfíbios são os primeiros a morrerem. Como o solo do parque é encharcado, alguns animais se escondem das chamas e sobrevivem. Muitos outros morrem por não ter chance de fuga.

Na mesma residência onde o cão foi avistado pela reportagem, também havia uma vaca em uma área próxima ao fogo – Flávio Tin/ND

O GOR (Grupo de Operação e Resgate) de Porto Belo chegou ao parque no final da tarde de quarta-feira para fazer o resgate de animais. A veterinária Natália Melotto disse que a equipe, formada por ela e mais duas pessoas, havia encontrado, até então, uma cobra atropelada. “Possivelmente ela morreu ao tentar fugir do calor”, comentou.

Os animais resgatados pelo GOR serão levados para o Cetas (Centro de Triagem Animal) do bairro Rio Vermelho, em Florianópolis.

Leia também:

Moradores relatam experiência com incêndio no Parque

Mais conteúdo sobre

Tempo