Gean avalia volta do transporte coletivo em Florianópolis

Atualizado

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), disse em live nesta sexta-feira (22) que o transporte coletivo pode ser liberado em 1º de junho. No entanto, a liberação depende também do governo do Estado – decreto estadual proíbe a circulação por tempo indeterminado.

Prefeito de Florianópolis falou sobre liberação de atividades na Capital – Foto: Reprodução/Facebook

Gean disse que a liberação depende da evolução do número de infectados pelo novo coronavírus (Covid-19) na cidade. Para que haja a liberação, segundo o prefeito, a quantidade de contaminados tem de se manter baixa.

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde, na tarde de quinta-feira (21), Florianópolis tem 640 casos confirmados e sete mortes em razão do vírus.

Leia também:

Em relação ao número de recuperados, de acordo com dados da própria prefeitura, são 564 pessoas. Outros 2.840 casos foram descartados e 1.516 aguardam resultado de exames.

O prefeito disse que, caso haja a liberação, devem ser adotadas medidas de controle em terminais e dentro dos ônibus. “O horário da cidade não vai poder ser o normal. Se todo mundo chegar ao mesmo tempo, e sair ao mesmo tempo nesses horários, os ônibus vão estar lotados”, observou.

A liberação de aulas presenciais e eventos também foi citada pelo prefeito. Segundo ele, caso se mantenha o quadro de controle da doença na cidade, essas atividades podem ser liberadas. Contudo, Gean não estabeleceu uma data. A medida também depende do aval do governo do Estado, já que sempre vale o decreto mais restritivo.

No dia 30 de abril, o governador Carlos Moisés estendeu o decreto estadual que estabelecia a suspensão do transporte coletivo, aulas presenciais e eventos.

Painel da transparência

Na live, Gean anunciou o lançamento da plataforma Covidômetro para a próxima semana, com dados atualizados sobre a evolução da Covid-19 na Capital. São informações sobre o número de casos confirmados, em análise, recuperados, internações e óbitos.

O Covidômetro disponibiliza ainda uma escala com a situação atual da cidade em relação ao vírus. Os níveis são divididos em: controlado, baixo risco, moderado, alto risco e altíssimo risco.

A plataforma mostra o número de casos confirmados da doença nos bairros por meio de um mapa de calor. Locais com maior número de casos têm a cor vermelha, moderado com amarelo e o verde para um número mais baixo.

Outra funcionalidade do Covidômetro é a transparência de dados sobre compras e licitações da prefeitura na aquisição de equipamentos ou serviços para o combate ao vírus. Segundo Gean, todos os contratos estarão ali presentes.

Mais conteúdo sobre

Trânsito