Após 5ª morte por frio, River abre portas do Monumental para acolher sem tetos

A onda de frio que atinge a Argentina neste inverno fez ao menos cinco vítimas fatais em um intervalo de 11 dias. Na madrugada dessa quinta-feira (4), após mais uma morte, no bairro San Telmo, a apenas 400 metros da Casa Rosada, o clube de futebol River Plate abriu as portas do Estádio Monumental para acolher pessoas em situação de rua, e servir também como ponto para distribuição de suprimentos aos mais necessitados.

River abre portas do Monumental para acolher sem tetos – MOVIMIENTO IDENTIDAD RIVERPLATENSE/Divulgação

Segundo informações da Red Solidaria, instituição que intermediou a abertura das portas do Monumental com o River, cerca de 150 pessoas buscaram abrigo nas instalações do time portenho na noite mais fria do ano. Mesmo assim, quase mil pessoas permaneceram dormindo nas ruas da capital.

Com uma inflação batendo na casa dos 50% ao ano e a acelerada desvalorização do peso argentino frente ao dólar, a crise social no país vizinho se agrava. A taxa de desemprego é a mais alta em 10 anos, atingindo 30,2% da população, e a condição de pobreza já alcança 33,6% das pessoas, também a mais alta da década, segundo relatório da Universidad Católica Argentina.

O Ministério de Desenvolvimento Humano portenho está realizando atendimentos diários através do programa Buenos Aires Presente. Também foi divulgado número para emergências —108, para quem realiza a chamada desde a capital bonarense.

Dados da Direção Geral de Estatísticas da Argentina apontam que só na capital são 1.146 pessoas dormindo nas ruas. Se somados dados da região metropolitana e interior do país, são mais 8 mil pessoas nessa condição.

*Fábio Bispo é jornalista e viajou a Buenos Aires pelo programa Jornalismo Sem Fronteiras

Mais conteúdo sobre

Mundo