Após a morte de Barney, conheça Orion, o novo cão dos Bombeiros de Lages

Atualizado

O 5º Batalhão de Bombeiro Militar, em Lages, ganhou um novo – e fofo – integrante. O cão labrador Orion, de 65 dias, será treinado pela corporação para atuar em ocorrências de busca e resgate, assim que estiver apto. Ele será o parceiro do soldado Luciano Rangel, que, em abril, perdeu o “cãompanheiro” Barney, morto numa operação no Sul de Santa Catarina.

Soldado Rangel com o seu novo parceiro, o cão Orion – Divulgação/CBMSC/ND

No dia em que completou quatro meses após a perda do cão Barney, o soldado selecionou o novo cão e agora começa uma nova história. “O Barney sempre vai estar presente na minha vida e é muito importante para mim. O Orion começa a trajetória dele comigo agora e nós vamos trabalhar muito para que ele possa traçar o próprio caminho. Um nunca vai ser substituto do outro”, reforça.

Leia também:

O cão Barney morreu em uma operação no Sul do Estado no começo do ano – Corpo de Bombeiros/Divulgação/ND

Orion chegou essa semana na corporação vindo de Jundiaí (SP) e passou por diversos testes antes de chegar a Santa Catarina. O presidente da Coordenadoria de Busca e Resgate com Cães, Tenente Coronel Walter Parizotto, explica que não é uma tarefa simples a escolha dos cães.

“Antes de qualquer teste de seleção é preciso saber a procedência do canil. Nesse caso nós fizemos um mapeamento entre os canis do país que atendem as nossas exigências de saúde dos cães e que apresentam laudos negativos para possíveis doenças, como a atrofia de retina e a displasia coxofemoral, que podem acometer a raça, depois disso é que escolhemos o local”, diz.

Rangel passou dois dias no canil fazendo os testes específicos para a seleção, que começa com a avaliação dos pais do animal. “Me chamou a atenção o comportamento extremamente dócil do pai, muito próximo e que gosta de estar entre as pessoas”, aponta.

Um cachorro brincalhão

O filhote de 65 dias foi escolhido entre quatro selecionados, após ser aprovado em todas as etapas da análise, que aponta o temperamento, as habilidades, além da interação do animal. “O Orion foi colocado em um ambiente desconhecido e respondeu muito bem a todos os estímulos. Ele gosta muito de brincar, é bastante curioso, um cão colaborativo, mas também independente”, conta.

“O fato de o cão adorar brincar e conviver com pessoas são grandes características que buscamos, pois é justamente o necessário para as nossas buscas, já que todos os nossos cães acham que tudo é uma grande brincadeira” afirma Parizotto.

O soldado Rangel também destaca a facilidade em resolver conflitos do filhote. “Eu achei interessante, durante a avaliação, a maneira com que ele resolveu os problemas apresentados, muito focado e determinado”, complementa. Além das habilidades do animal, também são testadas a sensibilidade a ruídos e a resiliência.

A partir de agora Orion passa a morar na casa do soldado e terá um treinamento intensivo até completar 18 meses, idade em que poderá ser submetido a primeira certificação para atuar como cão de busca e resgate do CBMSC.

Tratamento positivo aos animais

No CBMSC o treinamento dos animais é feito exclusivamente com feedback positivo, sem nenhum maltrato, tanto na questão de obediência, quanto a parte técnica.

Mais conteúdo sobre

Geral