Após ataque a Bolsonaro, Haddad faz caminhada em SP com segurança reforçada

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um dia depois do ataque a Jair Bolsonaro (PSL), o PT triplicou o número de seguranças que acompanham o ex-prefeito Fernando Haddad nas atividades de campanha.

Segundo presidente da Central Única dos Trabalhadores, Fernando Haddad é o representante de Lula - Wilson Dias/Agência Brasil/Divulgação/ND
Haddad cumpriu agenda na manhã deste sábado em São Paulo – Wilson Dias/Agência Brasil/Divulgação/ND

Na manhã deste sábado (8), em Parelheiros, seis seguranças o acompanharam, em vez da habitual equipe de dois homens.

No extremo sul da capital, Haddad responsabilizou o ex-prefeito e atual candidato a governador pelo PSDB, João Doria, pelas mazelas da região.

Haddad disse que entregou ao sucessor o hospital de Parelheiros com 85% de execução. E que Doria não foi capaz de concluí-lo em dois anos de governo.

Após listar as promessas de Doria, Haddad disse que o tucano afirmou que não deixaria o cargo. Mas sumiu.

Quando cobrado por moradores de Vargem Grande, Haddad repetiu que Doria não levou a cabo as obras em curso.

Questionado por uma moradora se assumirá a vaga do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como cabeça de chapa na corrida presidencial, Haddad respondeu “provavelmente”.

Mais conteúdo sobre

Eleições 2018

Nenhum conteúdo encontrado

Após ataque a Bolsonaro, Haddad faz caminhada em SP com segurança reforçada

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um dia depois do ataque a Jair Bolsonaro (PSL), o PT triplicou o número de seguranças que acompanham o ex-prefeito Fernando Haddad nas atividades de campanha.

Na manhã deste sábado (8), em Parelheiros, seis seguranças o acompanharam, em vez da habitual equipe de dois homens.

No extremo sul da capital, Haddad responsabilizou o ex-prefeito e atual candidato a governador pelo PSDB, João Doria, pelas mazelas da região.

Haddad disse que entregou ao sucessor o hospital de Parelheiros com 85% de execução. E que Doria não foi capaz de concluí-lo em dois anos de governo.

Após listar as promessas de Doria, Haddad disse que o tucano afirmou que não deixaria o cargo. Mas sumiu.

Quando cobrado por moradores de Vargem Grande, Haddad repetiu que Doria não levou a cabo as obras em curso.

Questionado por uma moradora se assumirá a vaga do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como cabeça de chapa na corrida presidencial, Haddad respondeu “provavelmente”.

Mais conteúdo sobre

Jornalismo

Nenhum conteúdo encontrado