Após declarações de morte, lançamento de livro em homenagem a Toffoli tem raio-X

Atualizado

A segurança do Supremo Tribunal Federal (STF) colocou nesta quarta-feira (23), um raio-X na entrada do salão branco para os convidados que prestigiaram o lançamento de um livro em homenagem ao presidente do STF, ministro Dias Toffoli.

Ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) passaram pelo procedimento de segurança, algo atípico em eventos do STF. Nesta quarta-feira, Toffoli comemorou 10 anos de atividades no Supremo desde a sua posse no tribunal.

Dias Toffoli completou 10 anos de atividades no Supremo Tribunal Federal nesta quarta (23) – Foto: Agência Brasil/Divulgação/ND

O Supremo decidiu reforçar a segurança depois de o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot ter afirmado ao jornal O Estado de S. Paulo ter planejado assassinar a tiros o ministro Gilmar Mendes dentro do próprio STF.

Leia também:

“É uma realidade que se impõe, e não só no Brasil. Em tribunais de outros países, é um procedimento comum. Não cria nenhum tipo de constrangimento”, disse ao Estado o ministro do STJ Og Fernandes.

O ministro Tarcísio Vieira, do TSE, também defendeu a medida. “Nenhum problema em passar pelo raio-X. A segurança é para todos”, afirmou o ministro, defendendo um tratamento igualitário para todos convidados da solenidade.

Democracia e Sistema de Justiça

O livro “Democracia e Sistema de Justiça”, lançado para celebrar a data, tem a coordenação do ministro Alexandre de Moraes e do advogado-geral da União, ministro André Mendonça.

A obra reúne artigos de diferentes autores que analisam as principais decisões de Toffoli em temas como colaboração premiada, direitos humanos, desinformação, inteligência artificial, redes sociais e combate à corrupção.

Mais conteúdo sobre

Política