Após depor na PF, Gean Loureiro diz não estar a par da Operação Chabu

Atualizado

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, que foi detido na manhã desta terça-feira (18) como parte da Operação Chabu, da Polícia Federal, disse não ter conhecimento dos detalhes da operação. Ele afirmou, ainda, que não tem acesso aos autos ou à decisão do desembargador que determinou a sua prisão.

O prefeito, que foi liberado por volta das 21h, após prestar depoimento, concedeu uma entrevista à RICTV Record na manhã desta quarta-feira (19).

A operação da PF visa combater a prática de uma suposta organização que violava o sigilo de operações policiais em Santa Catarina.

Gean Loureiro concedeu entrevista ao SC no Ar da RICTV Record na manhã desta quarta-feira – Anderson Coelho/ND

Ao comentar sobre a presença dos agentes em sua casa e da busca por documentos relacionados à operação, Gean se disse espantando, pois não tinha conhecimento das ações.

Ele contou que respondeu mais de 70 perguntas durante o depoimento e disse que “cometeram a maior injustiça” de sua vida.

Questionado sobre a existência de uma suposta sala de inteligência e de contra-espionagem na prefeitura, Gean relatou que nunca a viu e não tem noção do que se trata.

“Nunca precisei disso, nem nunca utilizei. Todo mundo entra e sai da prefeitura. O que a PF fez, com muita cautela, foi uma apuração técnica, analisando a fiação, e depois viu que não existe essa sala”.

Confira a entrevista na íntegra

Gean disse também que já conhecia alguns dos outros citados na operação. Ele citou o encontro com o delegado da PF em Florianópolis, Fernando Caieron, também detido, em uma reunião do projeto Meta 21. O projeto internacional reuniria cerca de R$ 10 bilhões em recursos que poderiam ser investidos em qualquer área dos municípios.

“Não estamos falando de nenhum desvio de recurso ou contrato, não há nenhuma conduta ilícita da minha parte, mas quando se sabe que o prefeito está na PF, há uma grande repercussão”, disse Gean.

Ele relatou que foi interrogado sobre a Operação Emergência e informou que nunca teve nenhuma informação sobre essa investigação.

Afastamento

A defesa de Gean Loureiro deve ir à sede do TRF4, em Porto Alegre, nesta quarta-feira, para tentar reverter o afastamento do prefeito de suas funções por 30 dias. Segundo ele, a cidade segue “no mesmo ritmo” e não será afetada pelos últimos acontecimentos.

O prefeito mencionou que vai manter o lançamento de um novo pacote de obras, de cerca de R$ 100 milhões, para a semana que vem.

Leia também:

A expectativa, conforme Gean, é que o afastamento seja revogado, uma vez que não há nenhuma justificativa que mantenha a decisão. “A partir do momento que não aconteceu a prisão, não se tem lógica jurídica de manter a determinação do afastamento”, defendeu o prefeito.

Política