Após ferir PM com um facão, homem é morto na Serra de Santa Catarina

Atualizado

Um homem de 32 anos foi morto na tarde desse domingo (8), em Ponte Alta do Norte, na região serrana, após atingir um policial militar com golpes de facão na cabeça. O homem foi morto por um outro PM depois de ser atingido por um tiro no pescoço.

De acordo com informações da delegada Bricia Costa, da Polícia Civil, a PM foi acionada para atender uma ocorrência de violência doméstica, quando o homem de 32 anos se desentendeu com a sua companheira.

Leia também:

Ao chegar no local os policiais não encontraram o homem, apenas uma testemunha que informou que o suspeito perseguia o seu irmão, que tentou intervir na briga do casal. A testemunha ainda disse aos policiais que o suspeito portava um facão, um pedaço de madeira e uma espingarda.

Quando os policiais encontraram o suspeito, ele começou agredir o policial com golpes de facão até que o PM caísse no chão. Um segundo PM que atendia à ocorrência pedia sem sucesso que o agressor parasse, foram ao menos três golpes de facão na cabeça do policial.

Sem sucesso nos pedidos, o segundo PM disparou um tiro contra o suspeito, que o atingiu no pescoço. Imediatamente o policial iniciou os procedimentos de socorro ao outro policial e ao suspeito.

O PM foi encaminhado ao Hospital de Curitibanos, onde recebeu alta ainda no domingo, e o suspeito morreu a caminho do pronto-socorro.

A delegada Bricia, que estava de plantão, foi comunicada da ocorrência e já fez a oitiva das testemunhas no local. Como a versão das testemunhas e do policial eram condizentes, conclui-se a princípio que o policial agiu em legítima defesa e não foi lavrado pedido de prisão. Um inquérito será instaurado para verificar se houve apenas um disparo da arma do policial e em seguida encaminhado ao judiciário e Ministério Público.

Serão abertos inquéritos pela Polícia Civil para apurar os crimes de violência doméstica, a tentativa de homicídio contra o policial e o homicídio do suspeito. A delegada Bricia Costa ainda informou que não havia registros de passagens policiais do homem morto.

Polícia