Após manifestação, calçada do largo da Catedral Metropolitana fica manchada de tinta

Após uma manifestação em defesa da Petrobrás e contra a atual política de preços da estatal, que aconteceu na última quarta-feira (30) no Centro de Florianópolis, a calçada do largo da Catedral Metropolitana ficou suja com frases pintadas em tinta. A prefeitura informou que irá fazer um boletim de ocorrência para apurar a autoria das frases e está verificando com a Comcap (Autarquia de Melhoramentos da Capital) qual a melhor maneira de fazer a limpeza.

Equipe tentou fazer a limpeza do local, mas não conseguiu retirar a tinta, que permanece na calçada - Flávio Tin/ND
Equipe tentou fazer a limpeza do local, mas não conseguiu retirar a tinta, que permanece na calçada – Flávio Tin/ND

Segundo a prefeitura da Capital, o piso no largo da Catedral é antigo e pode ser prejudicado caso seja utilizado um método muito agressivo de remoção, como o jato de água. Integrantes da equipe do gabinete do vereador Bruno Souza (PSB) tentaram fazer a limpeza do local, mas não conseguiram retirar a tinta.

O vereador Afrânio Boppré (PSOL) participou do evento na última quarta-feira. Ele disse não ser responsável pela organização do evento e que não houve ato de vandalismo. “Pelo que entendi a tinta vazou no chão pelo tecido. Não sei se foi erro de cálculo. Ao pintar um pano a tinha vazou pelo fundo”, disse Afrânio.

Questionado sobre a limpeza do local, o vereador do PSOL disse mais uma vez que não fez parte da organização do ato e que não sabe qual foi a reação dos manifestantes ao perceberem que a tinta tinha sido transferida para a calçada, pois saiu do local antes de as faixas serem retiradas do chão.

Cidade