Após superlotação, emergência do Hospital Regional São José está normalizada, diz SES

Atualizado

Depois do comunicado de superlotação assinado pela direção na última sexta-feira, a situação da emergência geral do HRSJ (Hospital Regional São José) está normalizada, segundo a SES (Secretaria de Estado da Saúde). A situação de ocupação hospitalar foi controlada no final de semana com altas hospitalares e a diminuição de demanda, em grande parte pela realização de um mutirão de cirurgias de ortopedia.

Hospital Regional de São José recebe pessoas de cidades da Grande Florianópolis. Foto: Secom/ Divulgação/ ND

Hospital Regional de São José anuncia superlotação na UTI

Com a maior emergência pública do Estado, o HRSJ atende a pacientes de várias regiões, além de vítimas de acidente de trânsito, pela proximidade de localização às margens da BR-101. Diante dessa demanda, o HRSJ precisou montar uma operação para realizar cirurgias ortopédicas, e na sexta-feira (19), a diretoria emitiu um comunicado contabilizando o atendimento de 55 pessoas na emergência geral, entre elas, 17 em estado grave.

De acordo com a nota, emitida pelo NIR (Núcleo Interno de Regulação) e assinada pelo diretor geral Marcelo Borges, a emergência geral estava com 38 internados, dos quais 23 estavam em macas nos corredores do hospital.

“Em sua grande maioria, casos ortopédicos, aguardando procedimento cirúrgico”, destacou a nota que ainda solicita que “novos pacientes sejam encaminhados para outras unidades hospitalares até a liberação dos setores”.

A força-tarefa montada pela equipe médica realizou 11 cirurgias ainda na sexta-feira para reduzir a demanda no hospital, referência para atendimento de ortopedia. Segundo o governo do Estado, foram realizadas 96 cirurgias ortopédicas nos últimos 14 dias.

O diretor Marcelo Borges explica que, o fluxo dos atendimentos de ortopedia foi direcionado para o HRSJ porque o Hospital de Florianópolis está vocacionado para o atendimento a pacientes Covid-19. “Assumimos essa demanda ortopédica e criamos esse sistema de mutirão para atendimento dos pacientes”, destaca.

“Também acionamos os hospitais de retaguarda para o suporte ao Regional como forma de dar vazão a esses pacientes”, finalizou.  De acordo com a assessoria de imprensa da SES (Secretaria de Estado da Saúde), o comunicado emitido na última sexta-feira é um procedimento normal do NIR, que serve de orientação para outros serviços como o Samu, e em momento algum as portas da emergência do Hospital Regional São José ficaram fechadas para atendimento público.

Mesma nota já havia sido emitida em março de 2019, quanto o HRSJ chegou a ter 87 pacientes na emergência, dos quais 21 aguardavam atendimento nos corredores.

Outra providência adotada é uma parceria com o Hospital São Francisco de Assis, de Santo Amaro de Imperatriz, para atender pacientes de ortopedia da região da Grande Florianópolis. Para isso, a SES deve enviar para o hospital de Santo Amaro de Imperatriz um equipamento chamado Arco em C, que costuma ser usado em situações mais delicadas, como cirurgias e intervenções mais invasivas.

Mais conteúdo sobre

Saúde