Arte urbana traz novas cores e vida aos espaços urbanos de Florianópolis

Atualizado

Passear hoje pelas ruas, avenidas e viadutos de Florianópolis é encontrar Franklin Cascaes, Cruz e Sousa, camaleões, mulheres, figuras mitológicas, anjos, animais, além das mais diferentes formas e criações em pelo menos uma centena de obras imortalizadas pelo grafite, arte que deu novas cores e vida ao cenário urbano da Capital.

A obra mais recente realizada na cidade é um mural de 650 metros quadrados de autoria do artista Rodrigo Rizo, com o retrato do poeta Cruz e Sousa (1861 – 1898). Iniciativa do Street Art Tour, um dos projetos aprovados pela lei de incentivo à cultura da Prefeitura de Florianópolis, por meio da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, o painel começou a ser pintado na última semana no paredão ao lado do jardim do Museu Histórico de Santa Catarina – Palácio Cruz e Sousa, e deve ficar pronto até o fim deste mês.

Divulgação – Mural Cruz e Sousa

O mural será em preto e branco, como forma de representar visualmente características marcantes na obra do poeta. O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, destaca a importância de obras como essa para a memória da cidade. “Cruz e Sousa foi o principal poeta simbolista brasileiro e nasceu aqui, em Florianópolis, em 1861. Hoje, quem passar pelo Centro vai olhar para essa arte e se lembrar da sua obra, do seu legado, é muito importante valorizar essa história para as futuras gerações”, afirma.

Investimento na cidade

A intimidade da Ilha com a arte é vista logo na entrada do município, quando um grande painel grafitado em um viaduto dá as boas vindas a moradores e visitantes, que agora, além de conhecer os encantos das belezas naturais da Capital, podem visitar gratuitamente uma verdadeira galeria a céu aberto em todos os cantos da cidade. “Ao investirmos nestas obras, valorizamos a importância da arte, deixamos essa herança para nossos filhos e netos. A cidade fica mais bonita e evitamos que o patrimônio seja depredado e sofra com pichações. Estas obras resgatam a nossa memória, que estará sempre presente nos edifícios, nos muros, nas ruas e avenidas de Florianópolis”, destaca o prefeito Gean Loureiro.

O samba da passarela Nego Quirido também ficou mais colorido e atual após receber, em seu muro, a intervenção com a arte urbana de quatro artistas Thiago Valdi, Rodrigo Rizo, Vagner Wagz e Cristiano Akihirito, que repaginaram toda a fachada do sambódromo.

Muro da Passarela Nego Quirido – Cristiano Andujar – Divulgação ND

Outros importantes pontos de Florianópolis que ganharam cara nova por meio da arte foram o viaduto localizado na rodovia SC-401, uma das principais vias públicas da cidade, a sede do Floripa Airport e a passarela de pedestres que fica em frente do CentroSul. Em Coqueiros, o colégio municipal Almirante Carvalhal também tem agora uma galeria a céu aberto, onde a beleza da arte se uniu à educação, e que transmite uma importante mensagem sobre a adoção de animais.

Personagens da história da Ilha

Arte e a magia da Ilha se fundem na obra que homenageia Franklin Cascaes, o “pai das bruxas” da Capital, representadas para a posteridade no trabalho deste pesquisador da cultura açoriana, folclorista, ceramista, antropólogo, gravurista e escritor brasileiro, nascido no bairro Itaguaçu, em Florianópolis. O mural, assinado pelo artista Thiago Valdi, fica localizado na esquina das ruas Vidal Ramos e Deodoro, no Centro da cidade.

O trabalho de Valdi também foi viabilizado por meio da lei de incentivo à cultura da Prefeitura de Florianópolis. “É muito importante reconhecer personalidades importantes como Cascaes e Cruz e Sousa, que deixaram um legado inestimável a toda a população, em especial para nós que moramos na Capital. Por meio desses grafites, a comunidade local reconhece sua memória e sua história”, acrescenta Roseli Pereira, superintendente da Fundação Franklin Cascaes.

Galeria de arte pública no Centro

A tradição encontra ares contemporâneos na rua Tenente Silveira, uma das principais ruas do Centro da Capital desde a década de 60, que foi completamente repaginada e hoje é uma galeria de arte pública no coração da cidade.

Entre as mudanças realizadas pela Prefeitura de Florianópolis no local, os canteiros com árvores ganharam fartos arbustos e mais espaço na via, que já teve os nomes de rua do Imperador e rua do Governador. Hoje, se chama Tenente Silveira em homenagem a José Ignácio da Silveira, herói da Guerra contra o Paraguai.

Em meio ao verde que se espalha por toda a rua, estão bancos estilizados assinados por seis artistas catarinenses, que, com suas formas e cores, convidam quem passa a pé pelo local a uma pausa durante o dia de trabalho ou o passeio pela região.

Rua Tenente Silveira – Divulgação ND

De acordo com o Ipuf (instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis), o projeto de requalificação paisagística no local só foi possível graças a uma alteração na Lei Municipal 3.255, que incentiva a implantação de obras de artes em edificações em troca de índices construtivos. A parceria foi firmada por meio da Floram (Fundação Municipal do Meio Ambiente).

Street Art Tour

Quem quiser conhecer todas essas obras e saber onde cada uma se encontra pode acessar o aplicativo que faz parte do projeto Street Art Tour. A iniciativa criou uma plataforma de mapeamento da arte urbana de Florianópolis e tem como objetivo criar um museu digital a partir da catalogação de murais grafitados pela cidade. Até o momento, já foram mapeadas 109 obras pela Ilha e Continente, mas há muitas outras a serem catalogadas.

Idealizado pelo artista Rodrigo Rizo e pela produtora cultural Studio, o Street Art Tour também é viabilizado pelo município de Florianópolis e pela Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura nº 3659/91.

A plataforma, que pode ser acessada via site ou aplicativo, funciona pela navegação via GPS por um mapa interativo, onde estão identificadas as obras em diversas ruas da Florianópolis. Além da localização, o Street Art Tour fornece informações sobre a produção e conceitos das obras catalogadas, além da biografia dos artistas responsáveis.

A ferramenta será atualizada mensalmente, o que possibilita que novas obras sejam inseridas no museu digital. Para isso, o artista deve enviar fotos dos murais que deseja que façam parte do acervo, informações pertinentes à obra, como data, contexto de produção e conceitos. Deve ser encaminhada também uma biografia que inclua currículo e descrição da proposta criativa do trabalho que executa.

Arte urbana traz novas cores e vida aos espaços urbanos de Florianópolis

Mural Franklin Cascaes - Divulgação PMF

Mural Franklin Cascaes - Divulgação PMF

Divulgação - Mural Cruz e Sousa

Divulgação - Mural Cruz e Sousa

Muro da Passarela Nego Quirido - Cristiano Andujar Divulgação ND

Muro da Passarela Nego Quirido - Cristiano Andujar Divulgação ND

Rua Tenente Silveira - Divulgação ND

Rua Tenente Silveira - Divulgação ND

Rua Tenente Silveira - Divulgação ND

Rua Tenente Silveira - Divulgação ND

Viaduto SC - Divulgação ND

Viaduto SC - Divulgação ND

Viaduto entrada da Ilha. - Sandra Kraus Divulgação ND

Viaduto entrada da Ilha. - Sandra Kraus Divulgação ND

Passarela Centrosul - Divulgação ND

Passarela Centrosul - Divulgação ND

Muro Colégio Coqueiros - Divulgação ND

Muro Colégio Coqueiros - Divulgação ND

Prefeitura de Florianópolis