As tendências em cosméticos e protetores solares

Evolução dos produtos para uso no corpo e rosto surpreende especialistas e consumidores – Divulgação/ND

A evolução dos cosméticos e dos produtos para uso no corpo e rosto surpreende. Cada vez mais a indústria procura opções para melhorar a cosmética e também o resultado dos cremes, loções e géis de uso tópico. Estive recentemente em uma viagem para a Grécia e durante o verão europeu pude observar como um público exigente, sempre em busca de novidades, usa os novos cosméticos disponíveis no mercado internacional. Conto aqui um pouco do que vi lá para vocês.

Saúde e o bronzeado ideal

Na Grécia antiga, no século 6 a. C., os guerreiros gregos já aplicavam óleos essenciais junto com cinza vulcânica em seus corpos para se protegerem do sol durante as batalhas. Hoje os filtros solares são um item obrigatório tanto em nossa rotina diária quanto durante a exposição solar.

Os antigos cremes, contudo, eram mais oleosos, esbranquiçados e “grudentos”, fazendo com que uma boa parcela de pessoas não fosse adepta ao seu uso, mesmo sendo tão importante na prevenção do câncer de pele e no combate ao envelhecimento precoce. Para melhorar a aderência aos novos filtros, os cremes têm dado lugar a águas protetoras, sprays de alta fixação e óleos com elevada proteção e toque seco que não “grudam” a areia.

Para o rosto, efeitos mate associados a pigmentos para prevenir os danos da luz visível e ainda ajudar a cobrir pequenas imperfeições estão em alta. Algumas marcas apostam na tecnologia de color-adapt.

Além disso, a tendência é associar outros benefícios ao uso do protetor. Podemos ver a adição de antioxidantes, que previnem a produção de radicais livres e os danos ao DNA celular. As maiores marcas têm adicionado resveratrol, flavonoides, ácido hialurônico, vitaminas A e E, dentre outros. Para os mais exigentes no quesito bronzeado, porém que ainda querem garantir a saúde da pele, os novos filtros vêm com pigmentos autobronzeadores, que dão o efeito da “cor do pecado”, mas continuam agindo como protetores solares.

Hidratantes e produtos orgânicos

Hidratantes e cremes precisaram ser repaginados para atingir público mais exigente e consciente – Divulgação/ND

Com a mesma má fama dos protetores solares antigos, os hidratantes e cremes precisaram ser repaginados para atingir um público mais exigente e consciente. As pessoas buscam opções mais naturais, ecologicamente corretas e socialmente justas. Há uma preocupação em relação à produção dos ingredientes, assim como as condições de vida das famílias que os produzem, se os produtos são testados em animais, se são feitos com materiais recicláveis e a forma de descarte das embalagens.

Essa tendência está cada vez mais em alta também no Brasil, mas há muito ainda a aprender e a evoluir. O que percebi nas prateleiras das farmácias e lojas de cosméticos europeus foi uma maior variedade e opções dos produtos, não apenas em lojas especializadas, mas até em supermercados e farmácias convencionais. A vantagem desses produtos, segundo os produtores e seus adeptos, é poder cuidar da saúde da pele e da beleza sem agredir a natureza nem precisar testar em animais de forma que os mesmo sofram maus-tratos.

O consumidor contemporâneo busca qualidade, eficiência e facilidade nos produtos que escolhe. Isso não seria diferente para os produtos e cosméticos que são aplicados na pele. A tendência atual é associar isso ao benefício de sustentabilidade e consciência global. Se serão tão eficazes quanto os produtos convencionais? Ainda não temos todas as respostas, mas há estudos e avanços constantes. Cuidar de si e junto tentar cuidar do outro, essa é a mensagem.

Inspira!