Assegurados devem ter prejuízo no Dia Nacional de Advertência aos Planos de Saúde

Na data celebrada nesta quarta não haverá paralisações, mas o Sindicato dos Médico do Estado autoriza cobrança por consultas e procedimentos

Divulgação

Presidente do sincato, Cyro Soncini garante que qualquer ato será pacífico

Nesta quarta-feira (25), no Dia Nacional de Advertência aos Planos de Saúde, mais de 40% dos profissionais associados do Sindicato dos Médicos de Santa Catarina devem cumprir a decisão acatada na assembleia de dezembro de 2011. O sindicato orienta a cobrança de consulta dos pacientes de planos de saúde que não negociaram a remuneração médica.  Com isso, pacientes de mais de 20 operadoras estão sujeitos a pagar R$ 65 da consulta médica e outros procedimentos, conforme a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos.
Em Santa Catarina, a decisão está sendo cumprida desde o dia 10 de janeiro, por isso não haverá paralisação no Estado.  “Temos em nosso quadro mais de 7.000 médicos que vêm cumprindo isso desde o início do ano. É um bom alerta às operadoras que se recusam a avançar nas negociações pela recuperação de honorários defasados. Há empresas no Estado que pagam R$ 18 a consulta”, esclarece Cyro Soncini, presidente do Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina.
Segundo o gerente do Procon de Joinville, Jorge Nemer Filho, o consumidor que entender como pagamento indevido pode registrar ocorrência na unidade local para garantir seus direitos. “Recebemos poucas reclamações relacionadas a pagamento indevido em planos de saúde em Joinville. Temos registros dos anos anteriores e podemos fornecer também o atendimento da agência reguladora ao consumidor.”
Em Santa Catarina, mais de 1,5 milhão de pessoas são usuárias de planos de saúde, conforme dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar, divulgados em dezembro.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Notícias