Audiência pública vai definir implantação de taxa de proteção ambiental em Garopaba

Atualizado

Praia do Siriú é uma das belezas naturais de Garopaba, a capital catarinense do surfe. Foto: BOA/Divulgação

Capital catarinense do surfe e conhecida por suas praias como Silveira e Ferrugem e Siriú, Garopaba também estuda implantar a TPA (Taxa de Proteção Ambiental). Uma audiência pública deve ser marcada pela prefeitura para apresentação do estudo feito por uma empresa contratada para determinar se a taxa será implantada ou não.

Câmeras de Monitoramento foram instaladas na SC-434, na localidade da Encantada, e na subida do Morro do Siriú, para cobrir 100% do movimento de veículos de entrada e saída do município. Entre 12 de janeiro a 21 de abril, o fluxo foi medido quantitativamente e classificado em seis categorias: motocicleta, carro de passeio, utilitário/SUV, van/microônibus, caminhão e ônibus).

Implantação de taxa de turismo em Florianópolis agrada empresários

A medição, feita com equipamentos de leitura automática de placas, também identificou a quantidade de veículos emplacados em Garopaba, em outros municípios de Santa Catarina e de outros estados. Além disso, o estudo também apontou procedência dos turistas, os motivos de visita, o tempo de permanência, o tipo de hospedagem e a quantidade de ocupantes dos veículos. A partir dos dados coletados, empresa calculou a quantidade de veículos passíveis da cobrança da TPA.

O estudo concluiu que 58,75% dos veículos (675.974) que passaram pelo município na temporada 2018/2019 eram passíveis de serem tarifados, uma vez que foram desconsiderados os veículos com placas de Garopaba, Paulo Lopes e Imbituba. Outra conclusão é de que a região Sul é a que mais traz turistas para Garopaba.

O estudo já foi apresentado no último dia 17 de junho para representantes de entidades como CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas), Comtur (Conselho Municipal de Turismo), ACIG (Associação Comercial e Industrial de Garopaba) e Condema ( Conselho de defesa do Meio Ambiente). O próximo passo será apresentar o estudo para a comunidade em uma audiência pública, mas ainda não há uma data definida.

Porém, o encontro deverá ser decisivo. “A TPA não será enfiada goela abaixo. Somente implantaremos a TPA se assim for da vontade da comunidade garopabense”, declarou o prefeito Paulo Sérgio Araújo, através de nota.

Meio Ambiente