Aumenta o número de pontos próprios para banho em Florianópolis

O relatório divulgado nesta sexta-feira (23) pelo IMA (Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina), órgão que substitui a Fatma (Fundação do Meio Ambiente), aponta que Florianópolis está com 54,7% de pontos próprios para banho (41 regiões). O resultado é melhor do que o último relatório, divulgado dia 16, quando 46,7% dos pontos estavam próprios. O percentual da Capital está abaixo da média estadual, que tem 62,7% de pontos próprios para banho.

Em Florianópolis, a situação mais crítica permanece no Norte da Ilha. Em Canasvieiras, dos oito pontos analisados, sete continuam impróprios para banho. Nos Ingleses, de sete pontos, cinco estão balneáveis. Em Ponta das Canas, dois dos três pontos verificados pela Fatma estão impróprios. No leste, na Lagoa da Conceição, os nove pontos analisados também não são aconselhados para banho.

“A redução no volume das chuvas e do movimento nas praias favoreceram o aumento no número de pontos próprios”, afirma o gerente de Pesquisa e Análise Ambiental do IMA, Oscar João Vasques Filho.

Praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha, em Florianópolis - Marco Santiago/ ND
Em Canasvieiras, dos oito pontos analisados, sete continuam impróprios para banho – Marco Santiago/ ND

No primeiro relatório de balneabilidade do verão, divulgado dia 8 de dezembro de 2017, Florianópolis estava com 74,7% de pontos próprios para banho e chegou a ter 80% de pontos próprios no relatório seguinte, de 15 de dezembro. No auge da temporada de verão, a Fatma divulgou o primeiro relatório deste ano, em 5 de janeiro, que apontou que a Capital estava com 46,7% de pontos balneáveis.

Relatório de 23 de fevereiro

Total de pontos próprios em Florianópolis: 41

Total de pontos impróprios em Florianópolis: 34

Total de pontos próprios em Santa Catarina: 135

Total de pontos impróprios em Santa Catarina: 80

Como a balneabilidade é feita

Para dizer se um ponto é próprio ou impróprio para banho, a Fatma analisa a presença da bactéria Escherichia Coli, presente em fezes de animais e humanos. São necessárias cinco coletas consecutivas para se obter o resultado. “Começamos a colher as amostras para o início da temporada em 6 de novembro. Quando em 80% das análises a quantidade da bactéria é inferior a 800 por 100 mililitros, o ponto é considerado próprio”, Silva. Além da estrutura da Fundação, outros dois laboratórios parceiros contribuem para as análises. 

Os pontos analisados são nos municípios Araranguá, Bal. Arroio do Silva, Bal. Gaivota, Bal. Camboriú, Bal. Piçarras, Bal. Rincão, Barra Velha, Biguaçú, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Gov. Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Porto Belo e São José.

Mais conteúdo sobre

Cidade