Avaí vai à Justiça para jogar no estádio da Ressacada

Atualizado

O Avaí não vai ficar esperando a prefeitura de Florianópolis para conseguir a liberação do estádio da Ressacada visando o retorno do Campeonato Catarinense no dia 8 de julho. O presidente Francisco Battistotti tentará usar as dependências do clube na capital via Justiça.

Avaí quer repetir o duelo contra a Chapecoense que, no ano passado, fizeram a final do Catarinense – Foto: Fábio Machado/ND

Além de receber os jogos do Campeonato Catarinense, o Avaí quer a liberação para poder usar o estádio para a realização dos treinos presenciais. Com o veto por parte da prefeitura de Florianópolis, o clube precisou se deslocar até Palhoça, vizinha à capital, para realizar tais atividades.

Leia também

Além de buscar através da Justiça a liberação, o mandatário explicou que não tem interesse em ser declarado campeão estadual sem entrar em campo, mas quer que isso seja um direito do clube caso o campeonato seja encerrado.

Recentemente, o Avaí enviou um ofício à FCF (Federação Catarinense de Futebol) tendo o título antecipado como uma das propostas. A entidade rebateu e, através de seu presidente, falou que obrigaria o clube a entrar em campo caso não quisesse ser punido

Por fim, o Avaí garantiu que apresentou todos os protocolos de segurança, em trabalho realizado com o médico Luis Fernando Funchal, para conseguir a liberação do estádio da Ressacada. No entanto, Battistotti afirmou que o prefeito Gean Loureiro sequer avaliou a questão.

Em contato com a assessoria de imprensa do clube, o entendimento é que o Leão “vai buscar seus interesses” a fim de jogar e treinar no Sul da Ilha de Santa Catarina, e “nada contra a FCF ou parar o campeonato”.

O Avaí entrará em campo pela partida de ida das quartas de final do Campeonato Catarinense no dia 8 de julho, na Arena Condá, em Chapecó (SC), diante da Chapecoense.

Mais conteúdo sobre

Notícias