Bacia da Beira-Mar Norte, em Florianópolis, deve ficar totalmente despoluída em junho

Atualizado

O prazo final para a entrega das obras de balneabilidade da Beira-Mar Norte é daqui a pouco mais de duas semanas: 7 de março. A Casan garante que até lá tudo ficará pronto, mas para que as pessoas possam tomar banho de mar no local a espera será um pouco maior. “O resultado vai ser gradativo, mas a nossa previsão é para que a bacia da Beira-Mar já esteja despoluída em junho de 2019”, garante o superintendente da Região Metropolitana, da Casan, Joel Horstmann.

Acionamento da URA (Unidade de Recuperação Ambiental) em teste feito no fim de dezembro – Marco Santiago/ND

Até esta terça-feira (19), 95% da obra havia sido concluída. As equipes ainda precisam fazer os acabamentos e a conclusão da ligação elétrica. Pelo contrato, a empresa responsável pelo serviço tem duas semanas para deixar tudo pronto. Por causa de dois aditivos, a obra que custaria R$ 17 milhões vai custar R$ 18 milhões.

Ao longo da orla, 15 galerias serão utilizadas para drenar a água da chuva. Devido à presença de ligações clandestinas, no entanto, muitas vezes elas acabam levando um enorme volume de esgoto para o mar. Com as obras, essa água será bombeada até a estação de tratamento e só depois chegará ao mar. “Neste processo de tratamento, vários equipamentos retiram o lodo, a impureza, e a levam para o aterro sanitário”, explica Horstmann.

O sistema é todo automatizado. Ainda assim, a Casan deve manter um técnico no local, que será responsável por monitorar o funcionamento e limpar os filtros. “O contrato encerra no dia 7 de março, quando toda a estrutura estará montada e estará em operação plena”, afirma Horstmann. Em seguida, serão iniciados os testes sistema de tratamento de água, para que toda a bacia esteja despoluída em até três meses.

Quem circula pela área torce para que tudo dê certo. “Agora é esperar o resultado, pra ver se realmente vai funcionar. Me parece que o projeto realmente é bom”, diz o aposentado Geraldo Zunkowski. Já a administradora Camila Steckert não vê a hora de mergulhar na água limpa da Beira-Mar. “Se tiver próprio para banho, já tô aqui dentro”, comenta, empolgada.

Mais conteúdo sobre

Infraestrutura