Barqueiros e pilotos de motos aquáticas entram em conflito na Guarda do Embaú

Barqueiros que fazem a travessia do rio da Madre, na Guarda do Embaú, em Palhoça, entraram em conflito com um grupo de pilotos de motos aquáticas, os populares jet-skis. Imagens gravadas por frequentadores mostram oito equipamentos sendo impedidos de acessar o canal do rio. Os profissionais que transportam visitantes para a praia, que fica do outro lado do rio, alegam que os pilotos chegaram fazendo algazarra e colocando banhistas em risco.

O incidente ocorreu por volta das 15h de sábado (2). Um vídeo mostra o conflito. De um lado, vários barqueiros, com os bambus que utilizam para impulsionar as embarcações, em punho. De outro, os pilotos com motos aquáticas na foz do rio. Após uma discussão, eles fizeram a volta e voltaram para o mar. Turistas que acompanhavam a confusão, aplaudiram a postura dos trabalhadores.

A Associação dos Barqueiros da Guarda do Embaú informou que o problema ocorre há bastante tempo. Os representantes da entidade explicaram que sempre orientam os pilotos sobre as regras de segurança. Contudo, no sábado, alguns teriam feito manobras em meio a banhistas e pessoas que andavam com stand up paddle.

A associação enviou um áudio, atribuído a um dos donos de moto aquática. Na mensagem, um homem diz: “Nós podemos entrar lá. Vamos entrar lá com uma galera. Vamos fazer uma frente meio a meio. Aí vamos ver se eles vão vir de vara mesmo. Vamos entrar lá com 100 jet’s. Vamos reunir a turma aí”.

Ainda de acordo com a associação, a Marinha do Brasil foi acionada para fazer a fiscalização, já que os pilotos precisam estar habilitados e seguir uma série de regras. A reportagem do jornal Notícias do Dia entrou em contato com a Capitânia dos Portos na tarde deste domingo (3). Contudo, o oficial do dia não havia recebido nenhuma informação do plantão anterior. O responsável pela Segurança de Tráfego Aquaviária não retornou o contato até a publicação desta reportagem.

Mais conteúdo sobre

Região

Nenhum conteúdo encontrado