Blogueira diz que foi dopada e estuprada em beach club de Florianópolis

Atualizado

A blogueira de moda Mariana Ferrer revelou nessa segunda-feira (20) em uma rede social que foi dopada e estuprada no mês de dezembro em um beach club de Florianópolis. A influenciadora digital, com mais de 180 mil seguidores, também denuncia que a Polícia Civil está protegendo o criminoso e o local do crime por se tratarem de pessoas com poder.

Cafe de La Music diz que está apoiando as investigações desde dezembro de 2018 – Reprodução/ Instagram

Leia também

A jovem não citou o nome do local, mas o Cafe de La Musique confirmou que a denúncia se refere ao estabelecimento, que fica em Jurerê Internacional, no Norte da Ilha. O processo está em sigilo de Justiça.

“Não é nada fácil ter que vir aqui relatar isso. Minha virgindade foi roubada de mim junto com meus sonhos. Fui dopada e estuprada por um estranho em um beach club dito seguro e bem conceituado da cidade”, informou a jovem.

Mariana também reclamou que não recebeu ajuda das amigas nem dos seguranças do local: “nenhuma das pessoas que me acompanhavam no dia me socorreu, pelo contrário, me abandonaram, negaram meus pedidos de socorro, e todas as provas levam a crer que compactuaram para que o estuprador pudesse agir”.

Mariana postou foto das roupas manchadas de sangue, ao lado de uma guia de solicitação de exame – Reprodução/ Instagram

“Consegui chegar em casa graças a Deus. Minha mãe, ao ver meu estado, tirou minhas roupas e se deparou com a pior cena da vida dela, minhas roupas estavam cheias de sangue e odor forte de esperma. O estrago foi grande, físico e emocional. Danos psicológicos que infelizmente só quem também é a vítima pode mensurar”.

A jovem ainda criticou a investigação sobre o caso. Escreveu que a Polícia Civil está “empenhada em proteger apenas o criminoso e o local do crime por se tratar de pessoas de poder e dinheiro”.

Disse ainda que o delegado responsável foi invasivo ao entrar na casa dela sem mandado judicial. Afastado, o caso passou para uma delegada que nunca passou os autos do inquérito para a defesa e que, em seguida, saiu de férias. Desde então, a defesa da família não conseguiu mais contato com a investigadora.

Mariana Ferrer fez a denúncia em rede social – Reprodução/Instagram

O que dizem Polícia Civil e Café de La Musique

Na manhã desta terça-feira (21), a DPGF (Diretoria de Polícia da Grande Florianópolis) informou apenas que tomou conhecimento da publicação e denúncia da blogueira, e que solicitou detalhes da investigação para poder se manifestar a respeito de tudo.

“A DPGF está acompanhando o caso e assim que houver o que esclarecer, informar, vamos fazê-lo”.

Já o beach club informou por meio de nota que está apoiando as investigações relacionadas a Mari Ferrer desde dezembro de 2018.

“O Cafe de La Musique repudia veementemente toda e qualquer violência, e ressalta ainda que tem colaborado e auxiliado, fornecendo tudo que lhe fora solicitado e que envolvem o suposto fato, tais como: vídeos, fotos e cartão de consumo. Tudo que dispúnhamos foi imediatamente entregue à polícia, assim que se tomou ciência da acusação”.

“A casa está auxiliando nas investigações e preza para que se alcance o esclarecimento dos fatos da melhor forma e o mais cedo possível, tendo total confiança nas autoridades constituídas na apuração completa do caso.”

Mais conteúdo sobre

Polícia