Bolsonaro ataca o PSL e presidente do partido crava que ele “já está afastado”

O presidente Jair Bolsonaro pode estar de saída do PSL (Partido Social Liberal). Nessa terça-feira (8), após ataques feitos ao partido, o presidente indicou que pode deixar a sigla. Luciano Bivar, presidente do partido declarou que Bolsonaro “já está afastado”.

Bolsonaro disse a eleitor para “esquecer o PSL” e partido reagiu dizendo que o presidente não tem mais relação com o partido – Alan Santos/PR/Divulgação/ND

O motivo da insatisfação é a dificuldade da família Bolsonaro para controlar a legenda e seus diretórios regionais, que não aceitam a imposição dos nomes do grupo, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo.

Mesmo rachado, o partido terá na próxima campanha a maior fatia dos fundos públicos usados para financiar candidatos – estimada em R$ 400 milhões -, porque foi o mais votado na disputa de 2018, na esteira da eleição de Bolsonaro.

Leia também:

A saída do presidente, porém, já é dada como certa pela cúpula do PSL, que teme uma debandada. Dirigentes do partido ouvidos pelo Estado afirmam que o presidente pode levar até 15 dos 53 deputados federais, além de dois dos três senadores – Flávio Bolsonaro (RJ) e Soraya Thronicke (MS).

Embora ainda não tenha definido o seu destino, Bolsonaro avalia vários cenários políticos e deseja um partido que possa controlar, para impulsionar sua candidatura à reeleição, em 2022.

A UDN (União Democrática Nacional) já pediu registro como partido no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e quer que o presidente se filie à sigla.

“Estamos de braços abertos para a família Bolsonaro”, disse Marcus Alves de Souza, presidente da UDN. O Estado apurou que o dirigente da sigla em formação tem conversado com interlocutores de Bolsonaro.

O conflito do presidente com a cúpula do PSL ficou evidente nesta terça após ele ser abordado, diante do Palácio da Alvorada, por um apoiador que disse ser pré-candidato da legenda no Recife. Bolsonaro pediu a ele para “esquecer” o PSL e afirmou que o deputado Luciano Bivar (PE), presidente do partido, “está queimado para caramba”.

O militante estava gravando um vídeo quando Bolsonaro fez o apelo que escancarou a queda de braço no PSL. “Oh, cara, não divulga isso não. O cara (Bivar) está queimado para caramba lá. Vai queimar o meu filme também. Esquece esse cara, esquece o partido”, afirmou o presidente.

Reação do PSL

Nesta quarta-feira, em entrevista a jornalista Andréia Sadi, o presidente do PSL, Luciano Bivar respondeu as declarações de Bolsonaro.

Bivar ainda classificou a fala de Bolsonaro como sendo “terminal” e também disse que o presidente “já está afastado” do partido. Bivar ainda terminou sua fala para a jornalista dizendo: “(Bolsonaro) não disse para esquecer o partido? Está esquecido”.

Já ao Broadcast Político/Estado, o dirigente do partido afirmou que o presidente da República não possuí mais nenhuma relação com o PSL.

“Quando ele diz a um estranho para esquecer o PSL, mostra que ele mesmo já esqueceu. Mostra que ele não tem mais nenhuma relação com o PSL”, afirmou.

Luciano Bivar ainda afirmou ao Broadcast que a intenção de Bolsonaro ao atacar o PSL é mostrar que não tem nenhuma relação com as denúncias sobre irregularidades envolvendo as candidaturas de mulheres que teriam sido usadas como “laranjas” para obter recursos públicos.

“Acho que ele quis sair porque tem preocupação com as denúncias de laranjas. Ele quer ficar isento dessas coisas”, completou o dirigente partidário.

* Com informações do Estadão Conteúdo

Política