Bope apresenta robô antibomba à Polícia Militar de Santa Catarina

Atualizado

O robô antibomba Teodor, que será utilizado pelo Bope foi apresentado aos coronéis da Polícia Militar de Santa Catarina na sexta-feira (8), em Florianópolis.

Robô pode ser controlado remotamente a um quilômetro de distância  – Foto: Polícia Militar/Divulgação/ND

Com uma estrutura que pode chegar a dois metros de altura, o equipamento, que pode ser controlado remotamente a um quilômetro de distância do local da intervenção, foi adquirido pelo Governo Federal e cedido à polícia catarinense por meio da Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública). 

O robô é equipado com câmeras de alta definição capazes de identificar e manusear objetos estranhos com segurança e nas mais diversas situações.

Leia também:

De acordo com o major Humberto Porto Mapelli, do Bope, caso as equipes da Cobra (Comando de Operações de Busca, Resgate e Assalto), que é o grupo especializado para agir em intervenções envolvendo explosivos, detectem algo suspeito, poderão utilizar o robô para acessar o perímetro de risco.  

“Assim, evitamos expor os policiais em situações delicadas. Podemos transportar uma mala,  por exemplo, ou qualquer outro artefato que possa ser um explosivo”, explicou o oficial.

Equipamento possui câmeras de alta definição capazes de identificar e manusear objetos estranhos – Foto: Polícia Militar/Divulgação/ND

O equipamento também pode ser utilizado em outras situações, como casos envolvendo armas químicas, biológicas ou durante a negociação com alguém que porte uma arma de fogo. 

“Além do robô, temos diversos outros equipamentos e acessórios que podem ser acoplados a ele, como brocas e serras”, comentou o major.

Mais conteúdo sobre

Polícia