BR-282 tem 680 quilômetros de riscos em Santa Catarina; sete pessoas morreram em dois dias

Atualizado

Com pista simples e sinuosa a BR-282 atravessa o estado de Leste a Oeste. São 680 quilômetros de riscos entre Florianópolis e Paraíso. A rodovia federal 282, junto com a BR-470 e a BR-101, está entre as mais perigosas do Brasil. Nesse final de semana a 282 foi lembrada, mais uma vez, como a rodovia que mais mata em Santa Catarina.

Entre sexta-feira e sábado, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) registrou cinco acidentes com sete vítimas fatais. No acidente ocorrido em Águas Mornas, uma criança e uma mulher morreram. Em Alfredo Wagner, um casal morreu. Ambos acidentes ocorreram na sexta-feira.

No feriado de sábado, a PRF registrou três mortes. Em Campos Novos, um motociclista morreu após colidir com um carro. Outro motociclista também perdeu a vida na rodovia em Pinhalzinho. No trecho da BR-282 em Ponte Serrada, a colisão entre um ônibus e um carro resultou na morte do motorista do veículo de passeio.

Acidente em Águas Mornas ocorrido na sexta-feira – Divulgação/PRF/ND

Em 2018 a PRF registrou 107 mortes na BR-282. No ano anterior, houve 93 acidentes fatais. Entre 2007 e 2018 foram registradas 1.459 mortes nessa rodovia. Os números apontam apenas as mortes ocorridas no local do sinistro.
De acordo com a PRF, muitos acidentes registrados na rodovia ocorrem devido à imprudência do condutor que força ultrapassagem em locais proibidos e dirige acima da velocidade permitida na via.

Se flagrado em ultrapassagem proibida, o motorista será multado em R$ 1.467,35 e perderá sete pontos na carteira por ter cometido infração gravíssima. A multa e a perda de pontos por velocidade acima do permitido dependem de quanto, em porcentagem, o motorista estava além do estabelecido para a via. De acordo com o caso vai de quatro pontos à perda do direito de dirigir.

Por onde vai a BR-282
Nos seus 680 quilômetros de extensão, a rodovia BR-282 passa por 17 municípios catarinenses: Florianópolis, São José, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, Rancho Queimado, Alfredo Wagner, Lages, Campos Novos, Joaçaba, Xanxerê, Xaxim, Chapecó, Pinhalzinho, Maravilha, São Miguel do Oeste e Paraíso.

Desvio em Palhoça
Um dos trechos complicados da BR-282 na Grande Florianópolis está em Palhoça. A pista simples não suporta o trânsito intenso da cidade e da própria rodovia, com seus veículos pesados. O acesso à rodovia BR-101 é um tormento em forma de filas que alcançam quilômetros e dificulta a vida de quem precisa encarar esse problema diariamente.

Uma proposta para dar fluidez ao trânsito nesse trecho é desviar o caminho saindo da BR-101 antes do ponto original, passando próximo a Pedra Branca, em Palhoça, chegando na BR-282 em Santo Amaro da Imperatriz.

O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) tem um estudo para modificar o traçado da rodovia. Está prevista para este ano a licitação para contratar uma empresa para a elaboração do projeto executivo da obra.

Leia também:

Mais conteúdo sobre

Trânsito