AO VIVO: Brasil tem 201 mortes por coronavírus e 1.138 novos casos

Atualizado

O Brasil registrou nesta terça-feira (31), em plataforma do Ministério da Saúde, 5.717 casos confirmados da Covid-19, transmitida pelo novo coronavírus. O número mostra 1.138 novas confirmações em relação à última atualização, feita na segunda, dos dados da pandemia no País. As mortes pela doença chegam a 201, com aumento de 42 óbitos em relação à ultima contagem. A taxa de mortalidade da doença continua em 3,5%.

Com isso, os casos somam 5.717, informa o boletim mais recente do Ministério da Saúde. Em São Paulo, estado mais afetado pela epidemia, o número de casos subiu 54% em um dia, totalizando 2.339, com uma taxa de letalidade de 5,8%.

O segundo estado com maior número de casos é o Rio de Janeiro (708), onde a taxa de letalidade é de 3,2%. O Ceará tem 390 pessoas com diagnóstico de covid-19 confirmado. Em seguida, está o Distrito Federal (332).

Para conter o avanço da pandemia, o Ministério da Saúde orienta que a população siga em isolamento social, diminuindo assim o ritmo de contágio do vírus e evitando que o sistema de saúde se sobrecarregue. A medida vai na mesma direção que o recomendado por especialistas e pela Organização Mundial da Saúde.

Veja o número de mortos por estado:

Amazonas: 3
Rondônia: 1
Bahia: 2
Ceará: 7
Maranhão: 1
Pernambuco: 6
Piauí: 4
Rio Grande do Norte: 1
Minas Gerais: 2
Rio de Janeiro: 23
São Paulo: 136
Distrito Federal:. 3
Goiás: 3
Mato Grosso do Sul: 1
Paraná: 3
Rio Grande do Sul: 4
Santa Catarina: 2

Número de casos confirmados por estado:

Acre: 42
Alagoas: 18
Amapá: 10
Amazonas: 175
Bahia: 213
Ceará: 390
Distrito Federal: 332
Espírito Santo: 84
Goiás: 65
Maranhão: 31
Mato Grosso: 25
Mato Grosso do Sul: 48
Minas Gerais: 275
Paraná: 179
Paraíba: 17
Pará: 32
Pernambuco: 87
Piauí: 18
Rio Grande do Norte: 82
Rio Grande do Sul: 274
Rio de Janeiro: 708
Rondônia: 8
Roraima: 16
Santa Catarina: 219
Sergipe: 19
São Paulo: 2.339
Tocantins: 11

Acompanhe a entrevista coletiva:

Autoridades internacionais reforçam isolamento como medida

As autoridades da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) também afirmaram  que as medidas de isolamento social são as mais adequadas para reduzir o avanço da pandemia do novo coronavírus, que já atinge 823 mil pessoas em 177 países, com 39 mil mortes.

Na contramão dessas recomendações e contrariando governadores, o presidente Jair Bolsonaro defende que a população volte ao trabalho mesmo durante medidas de isolamento social.

Questionado na manhã desta terça sobre declarações do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, defensor das medidas de isolamento social, Bolsonaro estimulou apoiadores a hostilizarem a imprensa e mandou repórteres ficarem quietos. Jornalistas que fazem a cobertura diária do Palácio da Alvorada se retiraram de entrevista concedida pelo presidente.

Com informações do Portal R7

Mais conteúdo sobre

Saúde