Brasileiros conquistam três medalhas de bronze em Olimpíada Internacional de Astronomia

Atualizado

Estudantes brasileiros conquistaram três medalhas de bronze e duas menções honrosas na 13ª Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, na sigla em inglês), realizada em Keszthely, na Hungria, entre os dias 2 e 10 deste mês.

Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica teve recorde de inscrições – Tomaz Silva/Agência Brasil/ND

As três medalhas foram conquistadas por Raul Basilides Gomes (17), de Fortaleza, Giovanna Girotto (16) e Luã de Souza Santos (17), ambos de São Paulo. Já as menções honrosas foram para Bruna Junqueira de Almeida (16) e Lucas Shoji (16), também de São Paulo.

Recorde de delegações e meninas inscritas

A maratona olímpica abrangeu provas teóricas, práticas e de análise de dados. O evento contou com a participação de 254 estudantes de 47 países, número recorde de delegações.

Esta também foi a edição com maior número de meninas inscritas, selecionadas entre mais de 100 mil participantes da prova de nível 4 da OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica) em 2018. Deste total, cerca de 5.300 fizeram três provas na fase online da seleção.

Foram então classificados 150 estudantes para as provas presenciais, e os 30 melhores passaram por dois treinamentos classificatórios, para, enfim, ser escolhida a equipe – que passou por mais uma semana de treinamento intensivo com astrônomos em Vinhedo (SP), durante o primeiro semestre deste ano.

A delegação foi liderada pelos astrônomos Eugênio Reis, do Observatório Nacional, e Júlio César Klafke, da Unip (Universidade Paulista). Destinada a alunos dos ensinos fundamental e médio, a OBA é realizada por astrônomos membros da Sociedade Astronômica Brasileira com apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), da Agência Espacial Brasileira e da Unip.

Educação