Buscas por sequestrador de menina presa em cativeiro por dois meses são retomadas

Atualizado

A Polícia Civil retoma, nesta terça-feira (15), as buscas pelo sequestrador da adolescente de 13 anos que ficou em cárcere privado pelo ex-vizinho, de 51 anos, na Grande Florianópolis.

Na segunda-feira (14), ela foi ouvida por uma psicóloga policial e passou por exames de corpo de delito no Instituto Geral de Perícias. O depoimento especial será anexado ao inquérito que investiga o caso.

Jovem desapareceu em 31 de julho e foi mantida em cativeiro – Foto: Divulgação/ND

A menina foi resgatada na tarde de domingo (13), depois de ter sido encontrada em uma barraca numa região de mata. Ela desapareceu na noite de 31 de julho com uma mochila e seu animal de estimação.

Ela estava em cativeiro onde foi mantida em cárcere privado pelo ex-vizinho de 51 anos. O local fica a 20 quilômetros de onde ela foi vista pela última vez.

Polícia divulgou imagem de Plácido para auxiliar nas buscas – Foto: Divulgação/ND

Segundo o relato da vítima, ela passou os dois meses dentro da barraca onde foi encontrada, em condições precárias, na área de mata fechada cujo acesso só era possível por uma trilha.

A polícia confirmou a suspeita de que ela estava sob a posse do ex-vizinho, um homem de 51 anos. A aproximação dos policiais ao cativeiro fez com que o suspeito, Plácido Cardozo, se embrenhasse pela mata. Ele é considerado foragido da Justiça.

Um mandado de prisão já havia sido expedido durante as investigações por estupro de vulnerável. A Polícia Civil está divulgando a foto do suspeito para que a população ajude com informações pelos telefones 181 e 190.

Leia também:

No local do cativeiro, considerado insalubre pela polícia, foi apreendido um revólver de calibre 32 com seis munições. A suspeita é de que a arma era usada para manter a adolescente calada e evitar sua fuga.

Cárcere privado

De acordo com o delegado Fabiano Rocha da DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso), um mandado de prisão preventiva contra Plácido foi expedido em junho deste ano.

Ele é investigado por estupro de vulnerável. Em 2018, quando era vizinho da garota, teria cometido abuso contra ela. A família registrou boletim de ocorrência na época e ele deixou a casa onde morava.

Polícia