Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada até o dia 9 de junho

Ministério da Saúde anunciou prorrogação para atingir as metas estipuladas

Na véspera do término da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (gripe), o Ministério da Saúde anunciou a prorrogação até o dia 9 de junho. Desde o dia 17 de abril os grupos prioritários são chamados a comparecerem aos postos para receberem a dose gratuitamente. A campanha foi estendida porque a cobertura no país atingiu apenas 60% do público-alvo até o momento.

Em Santa Catarina, 77,72% da meta foi alcançada. Conforme dados da Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina), cerca de 380 mil pessoas ainda não foram imunizadas no Estado, considerando as seguintes prioridades: idosos, crianças de seis meses e menores de cinco anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), trabalhadores de saúde, professores, indígenas e doentes crônicos.

Em Florianópolis foram aplicadas 84 mil doses até a tarde de ontem, cobrindo 80% do público alvo. Todos os municípios estão sendo orientados a seguir com as atividades de imunização.

Campanha nacional de vacinação contra a gripe é prorrogada até o dia 9 de junho - Marco Santiago/ND
Campanha nacional de vacinação contra a gripe é prorrogada até o dia 9 de junho – Marco Santiago/ND

O número de casos de gripe pelo vírus influenza no Estado aumentou nas últimas semanas. De janeiro a maio deste ano foram notificados 491 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em Santa Catarina, de acordo com o Informe Epidemiológico da Vigilância da Influenza, divulgado na última quarta-feira pela Dive/SC. Destes, 94 (19,1%) foram confirmados para influenza, sendo 1 (1,1%) pelo vírus Influenza A (H1N1), 86 (91,5%) pelo vírus A (H3N2), 1 (1,1%) estão aguardando subtipagem para identificação do tipo de vírus influenza A e 6 (6,4%) pelo vírus influenza B.

Dos casos confirmados, 60 apresentavam algum fator de risco associado. A maioria era de idosos (34 casos), seguidos por doentes crônicos (12 casos). Do total, 66 evoluíram para a cura, 14 ainda estão aguardando a evolução e 11 morreram.

Vacina teve baixa procura dos grupos de gestantes e crianças

No Estado, os grupos que menos procuram a vacina foram as gestantes e crianças, segundo dados da Dive/SC. A enfermeira e coordenadora do Centro Municipal de Saúde do Centro de Florianópolis, Loana Rodrigues, confirma a baixa procura por parte destes grupos. “De modo geral tivemos uma baixa procura na imunização em relação ao ano passado.

Existem vários fatores, a questão de deixar para a última hora para se vacinar, existe a questão do relaxar mesmo, já que os casos diminuíram em relação a 2016, mas isso é justamente um resultado da campanha de vacinação, ainda falta conscientização das pessoas. Acho que a maior campanha são as pessoas que estão bem, que podem relatar os benefícios de se proteger com a vacina”, destaca Loana.

Além de convidar para que as pessoas dos grupos prioritários que ainda não se vacinaram se desloquem até um posto para receber a dose, Loana informa que na unidade foram imunizadas 7.800 pessoas até o último dia 23.

Meta de vacinação contra a gripe em Santa Catarina ainda não foi atingida - Reprodução/Dive/SC
Meta de vacinação contra a gripe em Santa Catarina ainda não foi atingida – Reprodução/Dive/SC

Sem saber que a Campanha foi prorrogada, Marcelo de Mello, 24 anos, esteve no posto de saúde do Centro, a fim de garantir a imunização antes da campanha acabar. Ele tem alguns problemas cardíacos, e deve manter a imunidade alta. “Não posso deixar minha imunidade cair, então sempre me vacino. Há muito tempo. Saio daqui com a consciência tranquila, pois estou imunizado. A prevenção diminui o risco”, ressalta.

Marcelo sem saber da prorrogação da campanha se vacinou nesta quinta-feira - Marco Santiago/ND
Marcelo sem saber da prorrogação da campanha se vacinou nesta quinta-feira – Marco Santiago/ND

Alerta para a chegada do inverno

A campanha pública nacional segue até o dia 9, mas o alerta é para chegada do inverno que traz o aumento de casos de gripe, e as clínicas particulares se organizam para cobrir aqueles que não se vacinaram contra a gripe. Conforme relata a médica Marilene S. Momm, responsável técnica pela Imunizar Vacinas, em Florianópolis, a procura na clínica foi baixa comparada ao mesmo período do ano passado.

“Com a prorrogação da campanha pública, logo após o ser término, a semana seguinte traz o inverno, e quem não se imunizou, corre o risco. Por isso nós ofertamos a vacina até o final do ano, quando vence o lote e os fabricantes começam a preparar a composição do próximo ano”, destaca. Marilene diz ainda que em 2016 houve um surto de casos que assustou a população, que correu em busca da vacina.

“Este ano estão mais tranquilos, mas o inverno ainda nem chegou e já foram registradas 11 mortes no Estado. É importante a proteção. Não deixem para o último momento”, enfatiza.

Dos preços de vacinas contra gripe pesquisados em clinicas particulares, eles variaram entre R$ 60 e R$ 90 reais. Já no Sesc da Prainha, o serviço será oferecido ao custo de R$ 45 reais para comerciários e R$ 70 reais para os demais, nos dias 13 e 27 de junho.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...