Campo de Marte, em SP, é reaberto para voos quase 24 horas após acidente

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Depois de passar quase 24 horas fechado, o aeroporto do Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, foi reaberto no início da noite desta segunda (30). De acordo com a Infraero, o local foi liberado para pousos e decolagens às 18h15.

O aeroporto teve as operações suspensas para facilitar o trabalho de perícia no avião de pequeno porte que caiu na pista na noite do domingo (29). O piloto da aeronave morreu e outras seis pessoas ficaram feridas. Segundo a Santa Casa de São Paulo, o estado de saúde das vítimas é estável, mas não há previsão de alta.

O avião de prefixo PP-SZN, vinha de Videira, em Santa Catarina, quando arremeteu duas vezes e acabou caindo na pista de ponta cabeça. Após a queda, a aeronave sofreu uma explosão e pegou fogo.

Equipes do Corpo de Bombeiros combateram as chamas e trabalharam na retirada das vítimas. O piloto e mais uma vítima que estava na cabine foram retirados depois de uma hora de resgate. Esse passageiro foi levado para o Hospital das Clínicas pelo helicóptero Águia da Polícia Militar”, disse o porta-voz dos bombeiros, capitão Marcos Palumbo.

Consta no registro da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) que a aeronave é um bimotor turboélice BE9L, fabricado em 2008 pela Hawker Beechcraft, com capacidade para sete passageiros. O bimotor é de propriedade da empresa de embalagens Videplast, com sede no município catarinense.

A FAB (Força Aérea Brasileira) informou que investiga as causas do acidente. Uma equipe foi enviada ao Campo de Marte para fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter visto a queda. Até que a perícia seja feita não é possível apontar as causas do acidente.

Outros acidentes O aeroporto registrou acidentes graves nos últimos anos. A última grande tragédia foi em 2016, quando um monomotor com sete pessoas a bordo caiu em cima de uma casa logo após decolar rumo ao Rio de Janeiro.

Entre as vítimas, estava um ex-presidente da Vale, Roger Agnelli. Os moradores da casa atingida fugiram pelos fundos e não sofreram ferimentos graves.

Em 2007, outra aeronave que acabara de decolar também caiu sobre uma casa, deixando oito mortos, incluindo um bebê.

Mais conteúdo sobre

Jornalismo