Florianópolis tem novos pontos impróprios para banho apesar da fiscalização e pouca chuva

Relatório do IMA apontou que 69% dos 85 pontos analisados estão próprios para banho, quase mesmo percentual da mesma época no ano passado

O mais recente relatório de balneabilidade do IMA (Instituto do Meio Ambiente) divulgado no último dia 17 de janeiro aponta que 69% dos 85 pontos analisados em Florianópolis estão próprios para banho. O percentual corresponde à média registrada na Capital em outras temporadas na mesma época, apesar de operações de fiscalização rotineiras e da falta de chuvas, um dos tantos fatores que incidem diretamente nos resultados negativos dos testes de balneabilidade.

Esgoto retido na rua da Flores extravasou para o mar em Canasvieiras. Foto: Flavio Tin/ND

Na praia de Canasvieiras, uma das mais visitadas da Capital, cinco dos oito pontos analisados estão impróprios para banho. A suspeita recai novamente sobre ligações irregulares de esgoto nas galerias pluviais, uma vez que, desta vez, não houve o extravasamento do Rio do Braz, apontando como vilão em anos anteriores. Além disso, os cinco pontos impróprios estão todos localizados no lado esquerdo da praia, bem distantes da foz do Rio do Braz, no lado direito.

A suspeita é agravada pela retenção de esgoto verificada nas ruas José Daux, das Flores e Acari Margarida em virtude da obra de alargamento da faixa de areia, mais elevada em relação ao nível das vias. Na rua da Flores, que coincidentemente abriga uma estação elevatória da Casan, as águas contaminadas da galeria pluvial já extravasaram o trecho de 50 metros alargado, causando a impropriedade do ponto de análise.  “A obra (de alargamento) vai precisar de ajustes nesses pontos”, ressalta o gerente de laboratório e medições ambientais do IMA, Marlon Daniel da Silva.

Curso d’agua que desemboca na Cachoeira do Bom Jesus está tomada por vegetação que se prolifera a partir de esgoto lançado de forma irregular. Foto: Flavio Tin/ND

A Cachoeira do Bom Jesus também tem dois pontos impróprios que intrigam o especialista em balneabilidade. “Tradicionalmente, não são pontos impróprios. É uma situação que nos deixa preocupado”, alerta. Além da chuva, Silva ressalta a existência de outros fatores como vento, maré, e corrente marítima que podem influenciar na condição de determinado ponto.  “A chuva, em grande quantidade, também pode diluir a contaminação”, ressalta.

Água do Rio Capivari está imprópria, mas ponto de coleta está próprio para banho segundo relatório do IMA. Foto: Flavio Tin/ND

Na Praia dos Ingleses, dos sete pontos pesquisados na praia do Norte da Ilha, apenas um está impróprio, em frente à rua do Siri.  É um local de grande ocupação imobiliária que apenas reforça a suspeita de despejo irregular de esgoto na galeria pluvial. “Nós também estamos tendo dúvidas (sobre a origem), pois não sabemos até que ponto a fiscalização é constante ou não”, completa Silva, ao ressaltar que a situação de impropriedade em alguns pontos analisados é recorrente nessa época do ano, devido ao crescimento da população fixa na região e a ocupação de imóveis por pessoas acima do limite de capacidade.

Fiscalização tem se intensificado na região

Um olhar frio comparativo entre os percentuais de balneabilidade nas duas últimas temporadas em Florianópolis seria suficiente para uma constatação: não há fiscalização. Porém, esse não é a realidade. Dois programas com inspeções diárias de ligações de esgoto são realizadas na região: o Trato Pelo Capivari e o Se Liga na Rede.

Mais recente, o Trato pelo Capivari é um projeto de fiscalização e conscientização que foi elaborado pela Casan a partir de uma exigência da Prefeitura de Florianópolis. O trabalho teve início em dezembro e já fiscalizou 250 residências nas proximidades do Rio Capivari e identificou a necessidade de 22 lacres, dos quais 15 já foram realizados pela Vigilância Municipal.

São 10 equipes de fiscais, coordenadas por um engenheiro e assistentes sociais, que tem como objetivo reduzir índices que apontam a existência de algum tipo de irregularidade em 53,2% das ligações de esgoto locais, segundo pesquisa da Casan. O trabalho vai se estender até o mês de julho, quando se encerra o contrato com a empresa contratada para efetuar o serviço.

Equipe da prefeitura fiscaliza ligação de imóvel em Canasvieiras. Foto: Divulgação/PMF

Já o Se Liga Na Rede, da Prefeitura de Florianópolis, atuou desde outubro em Ponta das Canas, Cachoeira do Bom Jesus e Canasvieiras. Foram realizadas 496 inspeções entre 31 de outubro a 21 de janeiro, que constataram irregularidades em 320 imóveis, com problemas dos mais variados: caixa de gordura inexistente ou inadequada, esgoto na galeria pluvial, não ligação à rede, entre outros.

Em números percentuais, 32% dos imóveis inspecionados nas três localidade estão com ligações de esgoto regulares e 68%, irregulares. Além disso, uma força-tarefa com integrantes da Vigilância Sanitária e da Floram faz fiscalizações esporádicas por diversos bairros da Capital.

TEMPORADA 2019/2020 – (nº de pontos de análise)

  • 13 a 17 de janeiro de 2020 – 68,4% SC (231)/ 69% Florianópolis (87)
  • 06 a 10 de janeiro de 2020 – 65,8% SC (231)/67,8% Florianópolis (87)
  • 30 de dezembro a 04 de janeiro – 71,4% SC (231)/72,4% Florianópolis (87)
  • 23 a 28 de dezembro – 81% SC (231) / 81,6% Florianópolis (87)
  • 16 a 20 de dezembro – 79,7% SC (231)/79,3% Florianópolis (87)
  • 09 a 13 de dezembro – 82,1% SC (229) / 81,2 Florianópolis (85)

TEMPORADA 2018/2019

  • 25 a 29 de março – 74,7% SC (229)/75,3% Florianópolis (85).
  • 18 a 22 de março – 69,4 % SC (229) / 67,1% Florianópolis (85)
  • 11 a 15 de março – 69,0% SC (229)/ 67,1% Florianópolis (85)
  • 04 a 08 de março – 65,1 % SC (229) / 65,9% Florianópolis (85)
  • 25 de fevereiro a 1º de março – 64,6% SC (229)/63,5% Florianópolis (85)
  • 18 a 22 de fevereiro – 62% SC (229)/ 72,9% Florianópolis (85)
  • 11 a 15 de fevereiro – 67,2%  SC (229) / 71,8%  Florianópolis (85)
  • 04 a 08 de fevereiro – 65,9% SC (229)/ 69,4% Florianópolis (85)
  • 28 de janeiro a 1º de fevereiro – 67,2% SC (229)/71,8% Florianópolis (85)
  • 21 a 25 de janeiro – 63,3% SC (229)/71,8% Florianópolis (85)
  • 14 a 18 de janeiro – 66,4% SC (229) / 72% Florianópolis (85)
  • 07 a 11 de janeiro – 73,8% SC (229) / 75,3% Florianópolis (85)
  • 02 a 04 de janeiro – 72,4% SC (219) / 76,2% Florianópolis(75)
  • 26 a 28 e dezembro – 75,8% SC (219) / 78,8% Florianópolis (75)
  • 17 a 21 de dezembro – 78,5% SC (219) / 80% Florianópolis (75)

Fonte: IMA

+

Notícias