Perdeu mãe e irmã: a história de superação do carateca morto em Guatambu

Atualizado

O jovem Wesley Schneider Lara, 17 anos, encontrado morto na madrugada deste domingo (3), vítima de um mal súbito, tinha história de superação. De acordo com o portal Diário do Iguaçu, recentemente, o lutador de karatê havia ficado longe dos tatames por seis meses. Wesley representaria Chapecó no Jasc (Jogos Abertos de Santa Catarina).

Morte de Wesley Schneider Lara sensibilizou Chapecó – Foto: Reprodução Internet

Ele havia sofrido no início do ano um acidente de trabalho, do qual saiu com várias fraturas. Quebrou o braço direito e três costelas, além de ter sofrido torção no tornozelo esquerdo. Mas retornou em junho vencendo a segunda etapa do Campeonato Catarinense, realizado em Blumenau. Mas, isso não foi tudo.

Em fevereiro deste ano, Wesley havia perdido a irmã, de 27 anos. Ela lutava contra um câncer, mas não resistiu. Para piorar, na primeira quinzena de outubro, Wesley perdeu a mãe. Dentro e fora dos tatames, ele teve que ser um lutador nato.

Carateca Wesley Lara, 17 anos

O último capítulo do drama pessoal do lutador ocorreu no domingo. De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Chapecó, o atleta estava em um camping com um casal de amigos no interior de Guatambu. Ele foi encontrado morto na barraca onde dormia.

De acordo com os amigos que o acompanhavam, Wesley teria reclamado de dores no peito na noite de sábado. Ele tomava remédios controlados, sendo que dentro da barraca os socorristas encontraram cartelas de cloridrato de sertralina e alprazolam. A morte de Wesley sensibilizou toda Chapecó, tanto que a prefeitura emitiu nota de pesar.

Leia também

Saúde