Prisão de casal por tráfico tem “bebê olheiro” e nome de policiais em altar, em Chapecó

Atualizado

Um casal foi preso pela Polícia Civil por tráfico de drogas na quarta-feira (1º) no bairro Palmital, em Chapecó. A investigação da DIC (Divisão de Investigação Criminal) durou três semanas. 

Drogas apreendidas pela Polícia Civil – Foto: Polícia Civil/ND

A polícia informou que acompanhou a movimentação de diversos usuários de drogas no local durante o período de investigação. Segundo o delegado da DIC Drogas, Rodrigo Moura, uma casa de rituais religiosos era usada como ponto de tráfico. 

Na casa dos investigados foram encontradas drogas dos tipos crack e maconha, além de apetrechos para o tráfico e dinheiro das vendas, conforme o delegado. 

O casal, um homem de 40 anos e uma mulher de 30 anos, já havia sido preso em flagrante no mesmo local pela Polícia Civil no ano passado, mas respondiam o processo em liberdade. 

Leia também:

Ainda segundo o delegado, crianças e adolescentes — filhos do casal — eram usados no comércio das drogas. “Inclusive um bebê ainda usando fraldas, que agia como “olheiro” durante as vendas”, informou Rodrigo Moura em nota.

Curiosidade 

Durante as buscas na casa, os policiais encontraram no altar nomes de pessoas escritos em bilhetes. 

O que chamou a atenção da equipe, segundo o delegado, foi que em ao menos três bilhetes constava o nome de policiais civis que foram responsáveis pela prisão do casal em 2019. 

“Não se sabe qual o objetivo dos bilhetes encontrados, mas é possível que os policiais civis estavam sendo alvos de rituais religiosos”, completou o delegado.

Mais conteúdo sobre

Polícia