Casal encontra bebê com três dias de vida enterrada em cova

Atualizado

Um casal indiano que estava prestes a enterrar a filha, morta durante o parto, encontrou uma bebê de apenas três dias no mesmo local. A criança recém-nascida estava viva e foi enterrada exatamente no local onde o coveiro abria a nova cova.

“Estávamos no cemitério, o coveiro abrindo a cova, quando a pá bateu no pote. Ela estava dentro de uma sacola. Por um momento, cheguei a achar que era a minha filha chorando, mas o choro vinha de dentro do vaso. Quando quebramos, ela estava lá dentro”, contou Hitesh Kumar ao jornal inglês Daily Mail.

O caso aconteceu no último sábado (12), na cidade de Bareilly, no estado de Uttar Pradesh, que fica no norte da Índia. A criança estava dentro de um vaso de cerâmica, embrulhada em um pedaço de pano e foi levada às pressas para o hospital.

Atendimento médico

Quando foi pesada pelos médicos, a menina tinha apenas 1 kg, estava desnutrida e tinha uma infecção pulmonar. Como o cordão umbilical já havia caído, foi possível determinar a idade dela.

“Prematuros em geral precisam de menos oxigênio. Quando estava enterrada, devia haver falhas no solo, por onde entrava o ar. Ela teve hipotermia e está recebendo oxigênio, ainda não consegue se alimentar sozinha. Estamos fazendo tudo que podemos por ela”, disse Saurabh Anjan, o pediatra que está tratando a menina.

Leia também: 

Tudo leva a crer que a menina era prematura, segundo o especialista. Ele acredita que ela conseguiu sobreviver enterrada porque consumiu a própria gordura corporal. “Ela sobreviveu mesmo com um número baixíssimo de plaquetas, ela é uma guerreira”, admirou-se Anjan.

Rejeição normalizada

A polícia da cidade ainda não tem pistas de quem seriam os pais da menina, mas o caso está sendo investigado. Na Índia, é comum os pais rejeitarem filhas, especialmente nas camadas mais humildes.

Isso leva o país a ter uma proporção de 944 mulheres para cada homem, uma das mais baixas do mundo. No censo de 2011, a população indiana tinha 623 milhões de homens e 568 milhões de mulheres.

O casal que enterrava a filha natimorta e encontrou a bebê viva informou que pensa em adotá-la.

Mais conteúdo sobre

Mundo