Casas fechadas e moradores com medo após mais um homicído na zona Norte de Joinville

Dois casos em menos de nove horas elevam para 21 o número de assassinatos cometidos este ano em Joinville

Fabrício Porto/ND

Casa onde crime aconteceu ficou fechada nesta terça-feira

Casa fechadas, moradores desconfiados e com medo. Foi assim que a  rua Dom Gregório Warmeling, no bairro Jardim Paraíso, zona Norte de Joinville, amanheceu nesta terça (16). Na tarde anterior, o local foi palco de um homicídio. A vítima é Kivia Gomes Moraski, 19 anos, morta com um tiro na nuca por volta das 14h de segunda-feira (15). Assustados com mais um crime no bairro, os moradores fizeram questão de deixar as janelas fechadas nesta terça. Nos portões, cadeados. O medo fez com que muitos preferissem nem atender aos chamados da equipe de reportagem do jornal Notícias do Dia, no portão.

Entre alguns moradores que resolveram falar descobrimos que Kivia estava vivendo na casa de número 744 há cerca de duas semanas. Ela era amiga da ex-mulher do inquilino do imóvel, que trabalha como pedreiro. Ele estava em uma obra, no bairro Floresta, quando o crime aconteceu. “Ela não tinha para onde ir e então o moço que morava aqui deixou ela ficar por alguns dias. Eles não eram namorados, apenas estava tentando ajudar a mulher”, comenta uma moradora da rua, que prefere não ser identificada.

Outro morador disse que neste fim de semana houve festa no geminado onde Kivia estava vivendo. “O barulho era muito alto, assim como o cheiro do consumo de drogas. O proprietário do imóvel chegou a ser chamado, mas estava viajando. Tinha uma molecada do Aventureiro e a festa foi até altas horas”, afirmou.

A Polícia Civil não descarta nenhuma linha de investigação, pelo menos por enquanto. Segundo o delegado Wanderson Alves Joana, da DH (Delegacia de Homicídios), algumas pessoas já foram ouvidas e o caso está sendo investigado. Até a tese de um possível crime passional é apurada, mas segundo o delegado esta possibilidade é remota. Após crime a equipe da DH localizou e prendeu um homem que tinha mandado de prisão em aberto. Ele acompanhava o trabalho da perícia na cena do crime quando foi identificado e conduzido à CPP (Central de Plantão Policial. A princípio o homem não tem relação com a morte de Kivia.

Últimos passos

Divulgação/ND

Crime atraiu curiosos na rua do Jardim Paraíso

Moradores revelaram os últimos passos de Kívia antes de ser assassinada. Pouco depois das 13h ela tinha saído da casa onde estava abrigada para ir comprar cigarros, no bar que fica na esquina. Ela foi até o local, comprou um maço, e voltou para a residência. Quando ela abrira o portão por volta das 14h, barulho de um tiro foi ouvido.

“A gente acredita que o homem já estava esperando ela dentro do quintal. Ela abriu o portão e foi executada com um tiro na nuca. O suspeito fugiu. Não ouvimos carro, nem moto, e logo depois a Polícia Militar foi acionada”, diz uma moradora que vive perto de onde o crime aconteceu. A mulher disse não saber se a vítima estava grávida, como foi comentado na cena do crime. Uma parente teria dito que sim, mas a Polícia Civil não confirmou a informação. O IML (Instituto Médico Legal) comentou que exames foram feitos e o laudo da perícia que está sendo realilzado irá trazer esta informação. A vítima será enterrada em São Bento do Sul, a família não quis falar com a imprensa.

O bairro Jardim Paraíso já registrou três assassinatos em 2016. Entre eles está o crime bárbaro, onde uma cabeça foi encontrada no início do mês na Estrada Timbé.

Homem esfaqueado no Centro

Divulgação/ND

Vítima foi esfaqueada em frente a sede dos Bombeiros Voluntários 

No final da noite desta segunda, outro crime fez a estatística de homicídios este ano em Joinville subir para 21. Um homem ainda não identificado foi assassinado a facadas no Centro. O crime aconteceu pouco antes das 23h, quase em frente à sede dos Bombeiros Voluntários de Joinville, no cruzamento das ruas Jaguaruna e Pedro Lobo. Populares que passavam pelo local encontraram o corpo e chamaram a polícia.

A polícia militar fez rondas em toda região e encontrou um rapaz suspeito do crime próximo ao terminal central do transporte coletivo. J. P. de 18 anos estava com mandado de prisão em aberto por roubo. Ele foi levado à CPP (Central de Plantão Policial) e contou aos policias que não teve participação no homicídio. Mesmo assim o rapaz será investigado.

Delegacia de Homicídios ainda com trânsito

Apesar de publicada uma portaria no dia 10 de fevereiro, transformando a Delegacia de Trânsito em Delegacia de Homicídios as mudanças ainda não foram colocadas totalmente em prática. Nesta semana os trabalhos na DP (Delegacia de Polícia) que fica no bairro Floresta estavam focados na finalização de inquéritos de trânsito, que estão sendo direcionados às delegacias dos bairros. Enquanto a transferência total não acontece as investigações de homicídios seguem na DIC (Divisão de Investigação Criminal).

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...