Caso Gabriella: Defesa pede prisão domiciliar de Leonardo devido à pandemia do coronavírus

Atualizado

O dia 24 de março passou e Leonardo Natan Chaves Martins não sentou no banco dos réus. Acusado de matar a namorada, Gabriella Custódio da Silva no dia 23 de julho de 2019, ele teve o julgamento suspenso por causa da pandemia do coronavírus e de todas as medidas de isolamento, prevenção e combate à doença.

Gabriella foi morta com um tiro no peito em julho de 2019 – Foto: Reprodução/Facebook

Ainda devido à pandemia, a defesa de Leonardo protocolou o pedido de prisão domiciliar junto à Justiça. Segundo a defesa do acusado, o pedido tem como base o grupo de risco de contaminação do coronavírus no qual Leonardo se encaixaria porque seria hipertenso.

O pedido foi protocolado na segunda-feira (6) e a estimativa é de que o juiz se manifeste em uma semana.

Além disso, o julgamento já foi remarcado para o dia 20 de maio, às 9h.

Leia também:

Caso Gabriella: Pai de acusado pela morte da jovem é enterrado em Joinville

Pai de acusado de matar Gabriella Custódio é encontrado morto em São Francisco do Sul

Defesa quer desqualificar feminicídio em caso Gabriella Custódio

Caso Gabriella: Namorado e pai dela vão a júri popular em Joinville

Justiça