Caso Gabriella: Família organiza protesto para cobrar agilidade nas investigações

Atualizado

Familiares e amigos de Gabriella Custódio da Silva, assassinada na semana passada em Joinville, pretendem tomar as ruas no próximo domingo (4) para pedir justiça pela morte da jovem. Gabriella morreu no dia 23 de julho com um tiro no peito. Leonardo Natan Chaves Martins, então companheiro dela, é o principal suspeito do crime.

Família de Gabriella pede por justiça pela morte da jovem – RICTV/ND

A manifestação está marcada para as 10h na Praça da Bandeira, no Centro de Joinville. Camisetas com a foto da vítima serão distribuídas aos participantes do movimento. A irmã, Andreza Custódio da Silva, fez um apelo pelas redes sociais e convocou a população do município para se unir à passeata. Confira:

O companheiro da vítima, Leonardo Natan Chaves Martins, alegou que o disparo foi acidental e que teria ocorrido no momento em que ele mostrava a arma para Gabriella.

Martins levou o corpo da jovem até o hospital no porta-malas do carro. Após deixar a jovem em uma maca dentro da unidade, o rapaz fugiu e jogou a pistola no rio. Ele se apresentou à polícia quando já havia finalizado o prazo do flagrante – o que impossibilitou a prisão naquele momento.

A principal linha de investigação da polícia é feminicídio (morte em contexto de violência doméstica ou pela condição de gênero). O delegado Elieser José Bertinotti aguarda o resultado da perícia e o laudo cadavérico para dar andamento ao inquérito.

Resumo do caso Gabriella:

Polícia