Caso Gabriella: Pai de acusado pela morte da jovem é enterrado em Joinville

Atualizado

Foi sepultado na manhã desta terça-feira (18), Leosmar Martins, encontrado morto no último domingo (16) na BR-280, em São Francisco do Sul, no Litoral Norte Catarinense. A cerimônia ocorreu por volta das 9h, no Cemitério Nossa Senhora de Fátima, em Joinville.

Vítima foi encontrada na noite de domingo (16) às margens da BR-280 – Foto: NDTV/Divulgação

O homem, de 41 anos, foi morto a tiros na noite de domingo. De acordo com a Polícia Militar, ele foi encontrado dentro de um carro, às margens da rodovia, com um ferimento de arma de fogo na testa e com as mãos amarradas.

Leosmar era pai de Leonardo Natan Chaves Martins, acusado de matar a companheira, Gabriella Custódio Silva, em julho de 2019. Apesar dos pedidos, segundo o advogado Pedro Wellington Alves da Silva, responsável pela defesa de Leonardo, ele não esteve na cerimônia devido ao presídio alegar falta de escolta para realizar o acompanhamento.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do Deap (Departamento de Administração Prisional), mas não teve retorno até a publicação da matéria.

Polícia continua com as investigações

Ainda não há informações sobre o que teria motivado a morte de Leosmar. De acordo com o delegado Rafaello Ross, câmeras de monitoramento teriam flagrado o momento em que três homens, após efetuarem os disparos, fugiram do local a pé. Porém, os suspeitos ainda não foram localizados.

Assim como o filho, Leosmar também era réu no processo que envolve a morte de Gabriella. Ele foi acusado por fraude processual e posse ilegal de arma de fogo, já que era dono da pistola usada no crime.

Entretanto, Ross afirma, ainda, que no momento não há dados que liguem a morte do homem com o assassinato da jovem. Além disso, segundo o delegado, novas testemunhas deve ser ouvidas sobre o caso nesta terça-feira.

Nota do Deap (Departamento de Administração Prisional) sobre a ausência de Leonardo no enterro

O Deap informa estar ciente da situação ocorrida com o interno Leonardo Natan Chaves Martins, que não teve disponível o serviço de escolta na manhã de hoje por falta de efetivo para atender a solicitação de escolta social no Presídio Regional de Joinville. O departamento está trabalhando para sanar tais problemas na unidade, sendo que o Concurso Público, que irá aumentar o número de Agentes Penitenciários, já está em andamento e a Academia de Formação Inicial dos novos agentes tem previsão de início para o começo de março.

Leia também:

Polícia