Caso Pretti gera consulta ao TCE

A mesa diretora da Câmara de Vereadores de Joinville questionou, oficialmente, o TCE (Tribunal de Contas do Estado) sobre a questão envolvendo o vereador Dorval Pretti (PPS), que recebe subsídio de vereador e salário servidor do Legislativo valores acima do salário do prefeito, o que seria inconstitucional. Outro funcionário da Câmara também receberia mais que o prefeito (por acúmulo de triênios ao longo da carreira), mas, nesse caso, já estaria devolvendo o que receberia acima do teto.

O presidente João Carlos Gonçalves (PMDB) informa que também está providenciando, para este ano, mural com o nome e o salário correspondente de todos os servidores do Legislativo. Ele quer dar mais transparência à Casa, como já ocorre, por exemplo, na Assembleia Legislativa – inclusive com funcionários aposentados. PSOL entrou com representação contra Pretti, o mesmo acontecendo com um filiado do próprio PPS.
 

DUELO
Mal acostumada a cobranças – e também a promover um planejamento adequado –, a Cia. Águas de Joinville não está admitindo punição da Amae (agência reguladora) no sentido de que a taxa mínima deixe de ser cobrada das pessoas que sofrem com a falta de água. Presidente da Amae, Renato Monteiro quer levar adiante sua intenção, pois entende que uma coisa é se cobrar a taxa mínima oferecendo o produto, Outra, bem diferente, é cobrar a taxa mínima sem sequer oferecer a possibilidade de consumo para tanto. A respeito da venda de água para a Casan atender Araquari, isso é encarado como necessidade política da empresa, embora agrave a falta de fornecimento de água à zona Sul de Joinville. É o lado social do fornecimento de água.
 

ENTUSIASMO
O pano de fundo era uma festa de aniversário, mas o lado da articulação política falou mais alto. Em Itapema, deputado federal Marco Tebaldi (PSDB) reuniu cerca de 1.300 pessoas entre amigos, familiares e colegas políticos dos mais diferentes partidos. Destaque para vereadores, deputados e prefeitos vindos dos quatro cantos de Santa Catarina, provando o bom momento que vive no cenário político catarinense. Ao lado do deputado federal, senador Paulo Bauer (PSDB), vibrava com a adesão grandiosa. Na condição de candidato a governador, ele quer contabilizar ganhos com a força demonstrada por Tebaldi com a base.
 

EM ALTA
ODIR NUNES. Foi o grande destaque na batalha de formação das comissões técnicas da Câmara de Vereadores. Desde que deixou a presidência da Casa, o vereador de Pirabeiraba não conseguia tanta notoriedade. É líder do bloco oposicionista.

EM BAIXA
PSDB. O partido foi a decepção nas tratativas para as comissões da Câmara. Não assumiu papel de destaque como oposição, até porque, é a sigla mais próxima de Udo Döhler depois do PMDB. Tucanos enfrentam crise de identidade.

 

SURPRESA
Não se sabe se é para compensar a não saída do filho do partido pelo qual foi eleito, o PDT, mas é dada como certa a candidatura do ex-deputado estadual Coelho Neto para deputado federal pelo PSB. Não se prova oficialmente, mas é dito que em conversa com Paulinho Bornhausen (PSB), Coelho tenha assumido um compromisso de fazer em Joinville e região pelo menos 20 mil votos. A sigla dos Bornhausen está com dificuldades de fechar a nominata de candidatos à Câmara Federal, mas, a partir desta decisão de Coelho Neto, o maior colégio eleitoral do Estado não será mais motivo de dor de cabeça.

O joinvilense mostrou seu lado bem-humorado, esta semana. Mesmo com o enfrentamento de uma série de problemas como a falta d’água, de energia elétrica, de leitos hospitalares no pronto socorro do São José, de vagas para estacionar no Centro; soube trabalhar seu lado divertido e cheio de picardia. Pelas redes sociais sobraram fotos e animações brincando com o calor infernal que se abateu sobre a cidade. Numa foto do pórtico (acima), por exemplo, se pedia para que Udo ligasse o “ventilador” gigante com urgência. Em outra, duas galinhas comentavam que haviam recomendado para a amiga não se expor ao sol. Na frente delas, um frango assado se estendia escalpelado na via pública.

 
NA MORAL
A leitura que se faz em boa parte de Joinville, tanto na classe política e empresarial, como na sociedade em geral, é a de que o segundo ano de administração Udo Döhler será de mais realizações, menos problemática devido aos sustos herdados do período anterior. Um termômetro para essa expectativa é o número de pessoas que resolveram quitar à vista seu carnê de IPTU. Praticamente, metade de Joinville honrou seu compromisso com o imposto municipal de uma vez só. A questão da saúde, que continua na UTI, segue sendo o calcanhar de Aquiles para o prefeito.
 

MEA CULPA
Se voltasse no tempo e fosse assumir a Prefeitura de Joinville agora, Carlito Merss (PT) disse que “faria tudo de novo do ponto de vista de obras e prioridades, só que agora com mais experiência, conhecendo as pessoas, a máquina pública e a dinâmica das relações da sociedade joinvilense”. A entrevista foi dada à revista Duo deste mês, que também pergunta ao ex-prefeito qual o conselho que ele daria ao prefeito Udo. Carlito respondeu: “Siga suas convicções, olhe para os mais necessitados”.
 

 
DIRETAS

– Subindo na cotação dos candidatos deste ano, o recesso foi bom para Patrício Destro (PSB), que está alinhavando bem seu caminho até a Assembleia Legislativa.

– Reunião de Prefeitura de Araquari com Casan teria “evoluído bem” segundo os lados presentes. Quando será que o ultimato à estatal vai acontecer pra valer?

– Exemplo de democracia e de gestão, a Ajorpeme empossou nesta semana sua nova diretoria, que tem à frente a hoteleira Rose Dedekind. A entidade é a maior do país nesses moldes de pequenos e microempresários.

– Ministério Público já analisa questionamentos que chegaram ao órgão sobre conselheiros da Cia. Águas de Joinville, que ganham R$ 3.000 por reunião que participam da empresa de economia mista. Isso pode?

– Entre os conselheiros, seja como titular ou suplente, diversos secretários municipais. Pelo fato de receberem dos cofres municipais mais que o prefeito, em alguns meses, também estariam infringindo a lei.

– Titular de duas pastas atualmente (Seinfra e Ittran), Romualdo França é o mais cotado para assumir a supersecretaria de serviços públicos a ser criada com a reforma que Udo vai promover nos próximos dias.