Casos graves de coronavírus estão sendo tratados com cloroquina em SC

Atualizado

Apesar de não confirmar a quantidade de pessoas que estão sendo medicadas com hidróxido de cloroquina, o secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, afirmou que há pacientes em estado grave que estão sendo medicados com o medicamento, usado para combater a malária.

A confirmação foi feita nesta terça-feira (31), durante a atualização dos números referentes ao contágio pelo novo coronavírus em Santa Catarina. O Estado chegou aos 235 casos de coronavírus. Entre esses números, 22 pessoas seguem internadas em tratamento intensivo para a doença.

Secretário de Estado de Saúde, Helton de Souza Zeferino, afirmou que casos graves estão sendo tratados com cloroquina – Foto: Cristiano Estrela/Divulgação/ND

O Ministério da Saúde, através de parceria com o laboratório das Forças Armadas, produziu uma quantidade do medicamento para disponibilizar a todos os estados. No entanto, a recomendação é que o composto seja usado em apenas casos severos.

Os estudos sobre as ações do medicamento no combate à Covid-19 ainda estão sendo desenvolvidos. Em alguns casos, o resultado tem se mostrado positivo, mas outros pontos como, por exemplo, a dose e os casos específicos a ser usado, precisam de um estudo mais aprimorado.

Leia também:

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) havia liberado o uso da cloroquina em pacientes hospitalizados e em estado grave. Além disso, o recomendado é o tratamento com a medicação pelo período de seis dias.

Porém, a Anvisa foi taxativa ao proibir a automedicação por causa dos efeitos colaterais. Um dos eventos relatados a longo prazo por causa do uso da cloroquina incluem retinopatia – lesões associadas a retina ocular – e distúrbios cardiovasculares.

Mais conteúdo sobre

Saúde