Catarinense que estava no Boulevard de La Rambla relata momentos de pânico em Barcelona

A catarinense Camila Becker Freitas de Mello, natural de Criciúma, mora em Barcelona e estava com amigos no Boulevard de La Rambla no momento em que aconteceu o ataque terrorista nesta quinta-feira (18). Em entrevista ao jornal A Tribuna, de Criciúma, ela relatou momentos de pânico e disse que gostaria de esquecer as imagens que viu.

Camila levava amigos para conhecer a via, que é uma das mais movimentadas em Barcelona, quando presenciou o ataque. “Do nada passou aquela van correndo, atropelando todo mundo. Começaram a atirar e todo mundo começou a correr. Eu perdi meus amigos, fiquei correndo o mais rápido que pude. Minhas pernas tremiam muito. Vi crianças sendo pisoteadas e não pude fazer nada”, relatou.

Camila e o marido, Ricardo Mello, moram na Espanha - Reprodução Facebook/ND
Camila e o marido, Ricardo Mello, moram na Espanha – Reprodução Facebook/ND

Camila conseguiu se distanciar do ponto central do ataque e reencontrou os amigos. Juntos, esperaram por cerca de duas horas até conseguirem um táxi que os levasse para a casa em segurança, mas os momentos de tensão e pânico continuam em sua mente.

“Quero que essa imagem saia da minha cabeça. Pedi pra Deus não deixar eu morrer. Porque na hora você não sabe o que está acontecendo. O mais triste foi ver crianças e pais procurando uns aos outros desesperados”, completou.

Após a ação terrorista, Camila utilizou as redes sociais para tranquilizar familiares e amigos que aguardavam notícias no Brasil. “Hoje (quinta) nasci de novo. Por alguns minutos pedi a Deus que não me levasse agora. Nunca imaginei que fosse passar por isso em minha vida, graças a Deus Ele me livrou porque sempre está comigo. Obrigada Papai do céu. Obrigada a todos pelas mensagens de carinho”, escreveu.

O atentado ocorreu por volta das 17h, quando as Ramblas, uma via de grande circulação que liga uma praça central à orla da cidade, estava especialmente movimentada. Uma van subiu no calçadão e atropelou centenas de pedestres. Aproximadamente 100 pessoas ficaram feridas e o número de mortos foi atualizado para 14 na manhã desta sexta-feira (18).

A facção terrorista Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque e duas pessoas foram presas. A polícia agora procura por Moussa Oukabir, apontado como suposto autor do atentado.

*Com informações do jornal A Tribuna, de Criciúma

Mundo