Centro Leste de Florianópolis vai ganhar novo visual

Atualizado

Intenção é tornar o Centro Histórico da cidade cada vez mais atrativo – PMF/Divulgação/ND

A região do Centro Leste de Florianópolis, no entorno da Praça 15 vai passar por uma revitalização e requalificação das ruas. A ideia da Prefeitura da Capital é tornar o Centro Histórico da cidade cada vez mais atrativo para as pessoas, valorizando os traços arquitetônicos e da cultura local.

O lançamento da licitação para contratar a empresa que vai executar as obras está previsto o Super Março, em comemoração aos 347 anos da cidade. O projeto atinge as ruas do entorno da Praça XV de Novembro e outras quatro vias públicas do lado direito da praça: Rua Tiradentes, Calçadão da João Pinto, Rua Nunes Machado e Rua Fernando Machado.

Entorno do Largo da Alfândega

Após o Carnaval, a Prefeitura vai iniciar as obras das calçadas acessíveis em granito no entorno do Largo da Alfândega. Isso será feito na Rua Conselheiro Mafra, nos dois lados do trecho entre a Rua Arcipreste Paiva e a Rua Deodoro – devido ao acesso à antiga Casa da Alfândega e à praça do Largo da Alfândega – e dali até a Rua Jerônimo Coelho, na lateral do Mercado Público, por ser um prédio histórico.

Como a grande parte das grandes metrópoles, a arquitetura de Florianópolis não é estática. Ao longo do tempo, várias edificações foram sendo alteradas e modificadas, seja por questões de funcionalidade ou de necessária recuperação.

A exemplo do que já aconteceu no passado, quando casas construídas ao largo da Matriz foram transformadas em sobrados mais modernos para abrigar repartições públicas, a área do Centro Leste da Praça 15 necessita de nova revitalização.

Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 8 milhões. E a previsão é que os serviços sejam concluídos até o final do ano.

“Depois da restauração da antiga Casa de Câmara e Cadeia e da revitalização do Largo da Alfândega, faremos mais esta obra para valorizar o centro histórico de Florianópolis”, ressalta o prefeito Gean Loureiro (DEM).

Entre as alterações estão a troca do pavimento em paralelepípedo por pavimento em paver (blocos de concreto intertravados) e nivelado com o passeio (calçada) – PMF/Divulgação/ND

Mudanças previstas

Entre as alterações estão a troca do pavimento em paralelepípedo por pavimento em paver (blocos de concreto intertravados) e nivelado com o passeio (calçada). Esse, por sua vez, será refeito em granito e acessível.

“A ideia é privilegiar as pessoas e deixar esta região do centro histórico mais harmônica e no estilo do novo Largo da Alfândega recém-entregue. Vai ser a obra!”, comemora o secretário de Infraestrutura, Valter Gallina.

O secretário também garante que a revitalização será concluída ainda em 2020 e enfatiza que as mudanças previstas nas ruas da região não vão acarretar alterações no trânsito, após o término das obras.

Pavimentação ‘ecológica’

O paver vem sendo utilizado com mais frequência nos últimos 20 anos no Brasil. Esse tipo de pavimento de concreto é considerado mais ecológico, já que consome bem menos energia e gera menor quantidade de resíduos em sua fabricação, quando comparado ao asfalto.

Além disso, apresenta maior permeabilidade, o que permite melhor escoamento da água da chuva, minimizando riscos de enchentes. Outra vantagem, apontada por especialistas, é que a troca das peças é mais fácil, trazendo agilidade no caso de precisar mexer em tubulações, por exemplo. Por fim, sua utilização é liberada assim que o assentamento for concluído.

Embora seja comumente utilizado em áreas como praças, parques, calçadas, complexos esportivos e estacionamentos, também pode ser aplicado em vias urbanas com maior tráfego de veículos.

Nesse caso, as peças deverão ter espessura e altura maiores, entre oito e dez centímetros. Se usadas corretamente, essas peças modulares de concreto podem suportar cargas verticais, dinâmicas horizontais e movimentos de rotação.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Prefeitura de Florianópolis